Colunas

Cascavel CR perdeu para os seus próprios erros

Publicado em: 24/01/2020

Preponderou a melhor qualidade técnica e tática do Paraná Clube. Ficou a impressão que faltou treino e ousadia para o Cascavel CR
 
Olha gente, numa partida assistida por 400 pessoas, o Cascavel CR perdeu para o Paraná Clube na noite dessa quinta-feira por 2x0, com gols no primeiro tempo e um segundo tempo ora morno, ora frio. Tivemos falhas individuais em nosso time. O técnico   do Paraná Clube, Alan Aal, venceu a batalha das estratégias. 

Não deu para entender a calma do Cascavel CR no início da partida, rolando bola no meio de campo, como se esperasse algum acontecimento fora das quatro linhas. Não agredia o adversário que começou a partida com mais cautela, esperando os erros acontecerem. E foram muitos. Com passes rápidos e jogadores velozes no contra-ataque, o primeiro gol era uma questão de tempo. 

Dois jogadores se posicionavam muito próximos um do outro na frente da zaga cascavelense, pouco protegida por um meio de campo lento, muito lento nas definições dos lances. Na dúvida, jogavam para a defesa. Para os lados. Alguém gritou na arquibancada: “parece jogo de futebol de salão!”. Verdade, muitos toques. Em alguns momentos, demoravam para fazer o passe, com jogadas individuais que permitiam o desarme. Assim foi o primeiro gol, aos 12 minutos, numa escapada e com um toque sutil de Andrey, sem chances para nosso bom goleiro Fernando. 

O segundo foi aos 42, numa falha de marcação e cobertura da zaga. Raphael Alemão chutou praticamente da pequena área, para a desesperança da torcida, num momento em que o Cascavel CR pressionava e buscava o empate. Na segunda etapa, em alguns momentos, o técnico portuga Luis Miguel adiantou a marcação – parecia que teríamos uma reação. Mas foi fraca. Tivemos torcedores que abandonaram o estádio faltando 15 minutos para o final. O que é isso, minha gente? O jogo só acaba quando termina. Nosso técnico percebeu a falta de força do Cascavel CR e fez boas mudanças. 

Tivemos destaques de qualidade individual; além do goleiro Fernando (fez boas defesas e teve uma bola na trave), Rone (um bom driblador, porém sem sorte nessa noite), Pedro Igor e Gustavo (entraram no segundo tempo e se esforçaram muito).  Porém preponderou a melhor qualidade técnica e tática do Paraná Clube. Ficou a impressão que faltou treino e ousadia. Tem que “esquentar”, arrumar muita coisa – começando pelo meio de campo; ainda dá tempo. 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!