Colunas

BRASILEIRÃO

Cobra do oeste picou o tigre paulista

Publicado em: 07/12/2020

FC Cascavel vence a primeira partida do duelo com o Novorizontino por 1x0

Olha gente, o embate entre o FC Cascavel, a Serpente Aurinegra e o Novorizontino, o Tigre do Vale, começou fora das quatro linhas, entre os técnicos. Um duelo de dois tempos, duas partidas. Uma em Cascavel, outra em Novo Horizonte, pequena cidade de 40 mil habitantes do norte paulista. Quem vencer, segue para a terceira etapa da série D do Brasileirão. Os técnicos Roberto Fonseca, do time paulista, e Marcelo Caranhato, da equipe de Cascavel, anunciaram suas propostas.

Fonseca preconizava a organização dos setores como um todo; com o equilíbrio como palavra-chave. Mas obteve um desastre, a começar por ele próprio – que trancou o jogo por mais de oito minutos no segundo tempo, quando teve o goleiro de seu time expulso, ao fazer uma falta na entrada da grande área. Agiu como um técnico de time de várzea e ficou devendo. Caranhato teve mais sorte. Disse que o FC Cascavel precisaria de competência e eficiência.

O time foi para cima da equipe de Novo Horizonte, venceu, merecia um placar mais elástico, mas teve sorte na defesa, pois o arqueiro Ricardo teve falhas bobas, com dificuldade na saída de jogo, assim como os zagueiros muitas vezes se descuidaram nas tiradas de bola. Não se pode brincar nesta fase do campeonato. Mas fica o registro: o FC Cascavel foi mais competente, mais aguerrido, em geral, durante toda a partida.

O primeiro tempo foi muito disputado e equilibrado; registrei 13 jogadas que levaram algum perigo, com o Novorizontino atacando 7 vezes e o FC Cascavel 6 vezes – na maioria das vezes com Paulo Baya, o gigante Paulo Baya - lançando ou mesmo perdendo em duas oportunidades, a principal aos 33 minutos. Como destacou a equipe da Rádio Colmeia FM 105.9 (através de Edson Morais e Alexandre Nunes) – um jogo bonito de assistir. Jogadas rápidas, com ataques e contra-ataques sem o "detalhe" do gol. Aos 27 minutos houve uma extraordinária distração de nossa defesa, com o Novorizontino desperdiçando um gol feito, da pequena área. Assim transcorreu o primeiro tempo: um time esperando o erro do outro, e tentando barrar as iniciativas do adversário.

Até aí, a equipe paulista demonstrou mais maturidade, com consistência na defesa, que suportou bem as investidas do FC Cascavel. Caranhato ora determinava a troca de lado dos atacantes Douglas e Paulo Baya, dificultando a marcação. O goleiro Vinicius, do time paulista, foi o destaque do primeiro tempo. Nosso arqueiro Ricardo fez também boas defesas.

No segundo tempo o Novorizontino partiu para o ataque e chegou a marcar num belo gol de cabeça de Guilherme, anulado, pois o cruzamento foi feito por um jogador que estava impedido. Logo depois, Queiroz quase marcou, num descuido da zaga do FC Cascavel -  principalmente do goleiro Ricardo, que não soube despachar uma bola para fora da pequena área e entregou de bandeja para o atacante paulista que apenas deu um toquinho para o gol, salvo por nosso defensor de dentro do arco, praticamente. Mas o mesmo Ricardo, aos 9 minutos se reabilitou, fazendo grande defesa num chute de Borba da entrada da área. As substituições de jogadores do FC Cascavel, com as entradas de Libano, Robinho e Léo Itaperuna trouxeram mais força para a equipe.

Depois ainda entrou Henrique. Aos 17 minutos tivemos uma jogada que foi decisiva na partida: Léo Itaperuna entrava em velocidade na grande área do Novorizontino e foi derrubado pelo bom goleiro Vinicius, que foi expulso. A catimba do time paulista, comandada pelo técnico Roberto Fonseca, durou 8 minutos. Paulo Baya cobrou a falta por cima do gol. O time paulista, com 10 jogadores, sentiu-se acuado. O novo goleiro, Lucas Pereira, fez boas defesas. Era uma questão de tempo, a abertura do placar. Aos 53 minutos da etapa final, após perdermos algumas oportunidades, tivemos um pênalti bem marcado pelo árbitro, num chute de Henrique que encontrou as mãos do defensor paulista Paulinho. Paulo Baya, sempre ele, cobrou com perfeição, no canto direito. Justiça no placar. 1x0.

O presidente Valdinei Silva comentou as dificuldades do FC Cascavel, ao final da partida. Salientou que "a equipe sentiu a ausência dos três craques da memorável disputa do campeonato paranaense, Tocantins, Quaresma e Adenílson, mas está conseguindo encaixar um bom esquema, com boas estratégias de jogo; o time está mais compacto". Mas são frequentes os erros da defesa, acrescento. O FC Cascavel venceu em casa e poderá vencer em Novo Horizonte. Enfrentará um dos melhores times da Série D e um técnico capaz de tudo, muito catimbeiro.

Diria até desesperado, pois não imaginava a dificuldade que enfrentou na Capital do Oeste paranaense. Nosso técnico vai ter que armar um bom esquema defensivo e aproveitar os contra-ataques, pois o Novorizontino precisará vencer por dois gols para escapar da disputa por pênaltis, e não poderá errar na defesa. Temos a magia de Paulo Baya em campo. E a emoção aumenta a cada jogo. Que os deuses do futebol nos abençoem...

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!