A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Bola na Aldeia

Márcio Couto
Médico, escritor e entusiasta do esporte
IMPREVISTO

Derrota em Tocantinópolis por 2x0 era inesperada

Publicado em: 18/03/2022


Foto: Assessoria de Imprensa FC Cascavel
O Cascavel dá passos para trás nos objetivos para 2022

O Cascavel perdeu para o Tocantinópolis por 2x0 na noite de quarta-feira (16), vítima de seus próprios erros, e deixou de prosseguir na Copa do Brasil, que era um dos objetivos principais na temporada de 2022. Com o resultado, o clube deixa de faturar 1,9 milhão de reais, o que proporcionaria um reforço do elenco para a competição da Série D do Brasileirão, a partir de abril.

O jogo foi em Tocantinópolis, pequena cidade do Norte de Tocantins, com 23 mil habitantes, mas que tem o time melhor classificado no campeonato estadual, e que já tem tradição em competições nacionais, como as séries D e C (sete participações). Depois de uma logística difícil, que envolveu uma jornada de 3500 quilômetros com voo de avião, viagem de ônibus e travessia de balsa, o time perdeu a oportunidade de marcar no primeiro tempo e cansou no segundo, ficando a mercê do adversário.

Aquela máxima de quem não faz, leva, puniu a falta de qualidade dos atacantes do Cascavel. Foram cinco oportunidades de gol na primeira etapa, três delas nos pés de Vinícius Balotelli, que perdeu a chance de se firmar no ataque aurinegro. Uma noite triste para ele. O Tocantinópolis teve três ataques, sendo um com chance real de gol, que acabou convertido, aos 10 minutos, depois de uma falha do arqueiro Heverton, que rebateu uma bola para dentro da grande área, nos pés do atacante Everson Bilal.

No segundo tempo, Tcheco demorou para ajustar o ataque, e o time perdeu três chances de gol, uma delas novamente com Balotelli, com méritos para o goleiro Jefferson. O time cansou depois de 25 minutos e o Tocantinópolis aproveitou para contra-atacar, com uma bola na trave e o segundo gol aos 45 minutos, com Veraldo.

O Cascavel não teve força no ataque e não apresentou uma disposição tática que superasse a forte defesa do adversário, com zagueiros altos e que ganharam todas as bolas lançadas à exaustão para a área. O placar de 2x0 acabou justo. A estrela do treinador Tcheco parece ter se apagado.

A equipe volta para o Paraná e vai enfrentar o Maringá, no jogo de volta das quartas de final no domingo (18h30). Vai precisar se superar. Tem qualidade técnica, mas as peças não têm se ajustado dentro de campo. Muitos gols perdidos, atacantes que não marcam e a defesa que já foi inquebrantável e elogiada começa a naufragar.

Alguns torcedores já afirmavam que o time não inspira confiança e demonstra irregularidades, com altos e baixos dentro de cada jogo. Itaperuna e Robinho, e mesmo Willian Simões não têm demonstrado a mesma determinação, o os jogadores mais jovens, como Doka e Jajá, são mais promessas e esperanças do que realidades.

Agora, resta cuidar das feridas e buscar a vitória frente ao Maringá, a qualquer custo, para reencontrar o bom futebol.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751