A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Cris na Europa!

Cris Canassa
Jornalista, dedicada à gastronomia, curiosa, vê simplicidade em tudo, ama descobrir coisas novas por aí, pelo mundo.

Europa: uma via de fuga

Publicado em: 16/11/2021


Crise e pandemia estão levando brasileiros a deixarem seu país de origem. Itália é a nação mais procurada

A crise e a pandemia geraram uma forte vontade de mudança nos brasileiros. Mudança de país mesmo. Largar tudo e buscar por uma nova oportunidade de vida no exterior. Na Europa, a Itália é quase sempre a primeira opção, pelo fácil acesso à dupla cidadania dos descendentes que buscam ter a nacionalidade de seus ancestrais, com a diferença de Portugal, por exemplo, que permite a regularização da cidadania apenas até aos netos dos portugueses. 

Segundo dados do Itamaraty, a comunidade brasileira, aqui na Itália, dobrou nos últimos dois anos.  O esperto sobre Cidadania Italiana, Renan Contareli, tradutor juramentado e intérprete e consultor técnico do Tribunal de Milão, conta que o número de pessoas interessadas no passaporte vermelho aumentou muito nos dois últimos anos. “Isso ocorreu devido à instabilidade política e econômica do Brasil. Conversando com meus colegas, percebemos que o número tem crescido a cada dia que passa”, relata. 

Eu mesma perdi as contas de quantas mensagens recebi de amigos e conhecidos pedindo conselhos, socorro. As perguntas mais frequentes são: “É muito complicado para tirar a cidadania?”, “Como está o mercado de trabalho aí?”, “Não falo italiano, será que consigo me virar com o inglês ou o Google Tradutor?”, “Quanto eu preciso levar de grana pra me manter até eu arrumar um trabalho e sair a documentação?”. 

Digo sempre que vale a pena sim viver uma nova vida, uma nova cultura. É de um crescimento pessoal muito significativo. Se a pessoa tem o direito à dupla cidadania, por que não aproveitar essa oportunidade? Vale ressaltar que o planejamento é mais que necessário. “Muitos não conhecem a realidade, outros veem como a última carta na manga. O processo é longo. A pessoa precisa se preparar e fazer um planejamento. Sem esses cuidados a situação pode sair do controle”, aponta Renan. 

Às perguntas, procuro responder com base nas minhas experiências aqui. Sobre o processo da cidadania, digo que é essencial buscar por uma assessoria e indico profissionais capacitados. Quando se trata de mercado de trabalho, o que se tem disponível são trabalhos temporários, o subemprego. Aqui quase ninguém fala inglês e as pessoas não têm paciência ou tempo para Google Tradutor, sendo assim, ao menos o básico da língua é indispensável. Por fim, sobre dinheiro, uma reserva para garantir os 90 dias do visto é fundamental. 

Com certeza, as coisas aqui não estão fáceis também. Com respeito e seguindo as regras do “jogo” tudo é possível. Desejo sorte para todos que buscam por essa mudança, seja ela aqui na Itália ou qualquer outro canto do mundo que possa oferecer um futuro com mais apreço. 


 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

1 COMENTÁRIO(S)

A realidade e so quem vive aqui p saber!! As pessoas pensa que e so chegar e esta tudo certo!! Nao ! Alem do italiano deve saber trb e passar muita confianca p eles , E mesmo assim e dificil
comentado por Leonice em 16/11/2021
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751