A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Educação

Daisy Cristina Olerich Cecatto
Empresária, psicopedagoga e mestranda na FFLCH-USP

A emoção abre as portas para o aprendizado

Publicado em: 16/07/2020
Nenhuma criança vai se sentir segura com o pai ou a mãe surtando em sua frente; se a situação é difícil para nós, imagine para eles. Porém, em alguns momentos, é preciso extravasar. Neste caso, surte no privado

O controle das emoções é uma das habilidades cognitivas mais relevantes para a gestão dos mecanismos intelectuais. A emoção pode ser definida como um misto de sensações causadas por mudanças físicas e psicológicas que influenciam o pensamento e o comportamento com diferentes níveis de satisfação ou aborrecimento. 

O medo, a tristeza, a alegria, a raiva e o nojo são as 5 emoções consideradas universais. Situações que vivenciamos no dia a dia nos despertam diferentes emoções, mais ou menos intensamente. Considerando o contexto de incertezas que estamos vivendo em função da pandemia, que entre outras coisas restringiu nosso lazer e arrastou trabalho e escola para dentro de casa, nossas emoções brincam de gangorra o dia todo. Está formado assim, um cenário inevitável e altamente inflamável: estresse + criança + aulas online.

De acordo com o relatório da Unesco, "todo aprendizado tem correlatos emocionais". Por isso, no papel de pais e/ou cuidadores é importantíssimo tentarmos dominar as nossas emoções primárias e ter o máximo de paciência quando estamos auxiliando as crianças nas aulas e tarefas de casa, para não tornarmos esse período de nossas vidas ainda mais traumático. 

Teórica e cientificamente é bem mais fácil para um adulto exercitar o controle das emoções. Além da famosa técnica de respirar fundo e contar até dez antes de surtar, existe vasta literatura sobre o assunto. Aliás, é sempre bom lembrar que o adulto é o responsável pela relação. A ciência comprova que tanto o aprendizado quanto o desenvolvimento pessoal são estimulados pelas emoções positivas. Em razão disso, o aprendizado em casa ou na escola é facilitado se o aluno/criança praticar com satisfação ou pelo menos sem estresse. Aliás, a prática agradável desses momentos poderá fortalecer as relações envolvidas no processo de aprendizagem, nesse caso, entre nós e nossos filhos.

O prazer de aprender pode trazer o valor adicional de bons momentos compartilhados. Emoções negativas podem inibir a aprendizagem e enfraquecer o relacionamento. Nenhuma criança vai se sentir segura com o pai ou a mãe surtando em sua frente; se a situação é difícil para nós, imagine para eles. Porém, entendo que em alguns momentos é preciso extravasar. Bem, nesse caso, surte no privado e seja coerente no grupo, ou seja, se precisar desabafar converse com um amigo, parceiro ou procure ajuda profissional, mas não perca a compostura na frente da criança. Lembre-se: fatores afetivos nas experiências vividas influenciam não só no aprendizado, mas também no desenvolvimento pessoal de nossos filhos.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751