A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Educação

Daisy Cristina Olerich Cecatto
Empresária, psicopedagoga e mestranda na FFLCH-USP

2021 um ano para muito esperançar!

Publicado em: 10/12/2020
Ao encerrarmos este ano, sugiro que todos nós o façamos colocando a dor e as perdas de 2020 em uma prateleira, bem ao alcance dos olhos, com a etiqueta “Aprendizados para a Vida”


No ano de 1720 o mundo foi atingido pela peste bubônica, em 1820 viu um surto de cólera asiática, em 1920 viu o surgimento da gripe espanhola, e 2020 é o ano em que o famigerado coronavírus assola o mundo. 

Sempre ouvi e até usei algumas vezes a expressão: “Diz para o mundo parar que eu quero descer!”. Bem, em março de 2020 o mundo parou, mas ninguém teve o privilégio de descer, ficamos todos paralisados e fomos recuperando nossos movimentos lentamente ao longo do ano. É bem verdade que essa recuperação de movimentos não foi igual para todos, para alguns foi lenta, para outros mais rápida, para alguns as sequelas foram leves e para outros tantos elas foram irreversíveis, mas certamente todos fomos afetados e carregamos essas sequelas de uma maneira ou outra.

Neste último mês do ano, olhando para 2020, constatamos destruição, perda, morte e um sentimento geral de retrocesso para o mundo e sua população. Porém, refletindo sobre tudo o que passamos, é preciso admitir que também houveram boa lições, entre elas, as reflexões e insights que fizemos sobre a grande necessidade de melhoria de políticas públicas e sobre as diversas possibilidades que a tecnologia nos proporciona para nos adaptarmos a este “novo normal”. 

Ao encerrarmos este ano, sugiro que todos nós o façamos colocando a dor e as perdas de 2020 em uma prateleira, bem ao alcance dos olhos, com a etiqueta “Aprendizados para a Vida”.

Para mim, o ano que temos pela frente nos trará uma grande oportunidade de crescimento, porque acredito que usaremos o conhecimento adquirido para fazer melhor. Acredito que 2021 será um renascimento. Acredito que a esperança que nos ajudou a sobreviver à pandemia até agora, é também a esperança que nos ajudará a criar oportunidades por vir. A esperança nos faz olhar para a situação presente, vê-la como ela é e planejar algo melhor. Embora não saibamos o que 2021 trará ou como será o “novo normal”, ainda devemos estar otimistas de que o melhor virá, se seguirmos em frente acreditando.

A boa notícia então, é que em 2120 não estaremos aqui para vivenciar a próxima pandemia, mas até lá vamos aprendendo a dissipar o gosto amargo que esta pandemia deixou em nossas vidas e a esperar, do verbo esperançar, por dias mais doces. E por mais que, prever uma nova pandemia 100 anos à frente, possa parecer mais fácil do que imaginar como será 2021, precisamos manter a esperança, porque o nosso futuro mais do que nunca, depende de nossa atitude positiva em relação ao por vir. 

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751