Colunas

Quanto anos você tem?

Publicado em: 12/02/2021

E você, independente da sua idade biológica, quando mira os binóculos futuristas pra frente, quando anos você ainda tem? Olhe atentamente, pense nisso e viva o presente, como ele merece

Um tio muito querido havia acabado de completar 60 anos de vida. E, lá no interior do interior do Paraná, durante a despedida de mais uma reunião familiar, no Natal daquele ano, ele comentou: “Em setembro, eu fiz aniversário e agora tenho 20 anos”. Como ele é extremamente bem humorado, todos rimos muito, porque entendemos se tratar de mais uma piada sua. Ele brincou um pouco, tentando imitar o comportamento de um jovem de 20 anos, mas depois se recompôs e disse que desta vez estava falando muito sério. Faz tempo que esse fato aconteceu, mas sempre me lembro dessa lição que agora compartilho com vocês. Ele estava se referindo ao futuro. No raciocínio do meu tio, ele chegaria aos 80 anos da melhor e na melhor forma possível. Depois dos 80, seria outra história.

Quando falamos de idade, é possível fazer várias leituras ou interpretações. De cara, podemos pensar nessas três: idade cronológica, idade mental e a idade ou estimativa de tempo que ainda temos. Essa última é a mais desafiadora, porque as duas primeiras são fatos. Mas a terceira é uma incógnita, uma página em branco, um roteiro ainda a ser escrito e vivido, porém sem poder contar com o vigor da juventude, mas, sim, com a experiência de quem, literalmente, não nasceu ontem.

E quem tem o privilégio desse bônus de 20 ou 30 anos, após os 60, o que fazer para vivê-los da melhor forma possível? Além de exercitar o corpo e a mente, comer e beber com moderação, amar sem moderação, atravessar a rua na faixa de pedestres e outros cuidados básicos, será que tem algum segredo? Para essa resposta, há uma infinidade de possibilidades, mas não há nenhuma certeza. 

Esses dias me flagrei pensando nisso e me ocorreu que, tanto na ficção quanto na vida real, muitas pessoas que têm a chance de se despedir para sempre, querem acertar as suas contas com a vida e então confessam os pecados, pedem perdão à esposa, ao marido, confessam que tiveram um filho com a fulana ou com o fulano, contam um segredo cabeludo e pronto, estão livres. O moribundo vai embora, deixando os seus segredos para que sejam digeridos pelos que ficam. Dizem que essa mega confissão é para a pessoa poder morrer em paz. Mas, e por que não fazer tudo isso antes, agora, para viver os seus 20, 30 ou mais anos em paz? Será que alguém já fez isso? Não sei.
E você, independente da sua idade biológica, quando mira os binóculos futuristas pra frente, quando anos você ainda tem? Olhe atentamente, pense nisso e viva o presente, como ele merece. O passado foi e o futuro nunca se sabe. Então viva o presente de todo o seu coração. Afinal, a vida é um presente.
  
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

2 COMENTÁRIO(S)

Parabens Rosí! Excelente texto. Posso compartilhar? Abraço à vc.e ao Paulo.
comentado por João Cezar Meassi em 16/02/2021
João Cezar, muito obrigada. Que honra 😊 Pode compartilhar, sim.
comentado por Revista Aldeia em 17/02/2021
Eu sou uma que preciso viver o presente. Me preocupo muito com o futuro. Muito bom o texto. Parabéns.
comentado por Rosane Czepula em 14/02/2021
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!