A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Fora da Oca

Rosí Czepula Meassi
É publicitária e jornalista.

Bastidores da vida real

Publicado em: 16/08/2021
Eu sou um anônimo plural assumido. Tenho vários rostos, várias funções e estou em vários lugares ao mesmo tempo. Mas, aos olhos da maioria das pessoas, eu sempre serei invisível

Eu sou aquele que faz o seu pão de cada dia, crocante e saboroso como você gosta. Sou também a pessoa que literalmente suja as mãos de terra para dela tirar o alimento que você e sua família consomem todos os dias. Sou eu que organizo, limpo e reponho as mercadorias de maneira que facilite e agilize a sua rápida passagem pelo supermercado. Afinal, você não tem tempo para perder com isso. 

Falando em tempo, sou eu que arrisco a minha vida sobre duas rodas para que você receba a sua refeição aquecida e fresquinha no aconchego da sua casa ou aonde você estiver.  Sou eu que dirijo por horas, dias, semanas só para que você encontre aquela sua marca preferida na hora de abastecer a sua despensa, o seu banheiro ou o seu closet.

Sou eu também que faço as artes, gráficos e simulações que ajudam você a entender o contexto das pequenas e grandes reportagens exibidas pela TV ou por outra mídia visual. 

Nas plataformas de áudio também, sem mim, pode acreditar, você não conseguiria ouvir nenhum conteúdo. Sou eu que passo os dias e noites, dependendo do turno, ouvindo só os meus pensamentos, enquanto faço os cortes de carne bovina, suína, de frango e de peixe, do jeitinho que você gosta.

Sou eu também que trabalho nas outras indústrias todas, moldando, apertando parafusos, montando, embalando ou limpando as mercadorias mais diversas que vão do tênis ao seu carro de luxo. Sou eu que levo você para o trabalho e as suas crianças para a escola, todos os dias e, na boca da noite, eu os trago de volta em segurança. 

Naqueles comerciais de 30 segundos, sou eu que estou atrás das câmeras e sou eu também que desmonto o cenário e apago as luzes do estúdio, depois que todos vão embora. Lembre-se disso na próxima vez que pegar o controle remoto da TV. Sou eu também que varro o chão que você pisa, sou em que limpo a rua que te leva ao trabalho, à academia e a todos os lugares.

Sou eu também que, mesmo em conta gotas, dou a minha contribuição ao planeta, reciclando o lixo que você e a sua família produzem diariamente. Sou eu, ainda, que tenho a enorme e nobre responsabilidade de te ajudar a criar e educar os seus filhos pra o mundo.
 
Sou eu, no sentido literal, que seguro a sua mão nos momentos de dor. Ah, eu sou também aquele que toma todas as providências pra que o seu ente querido se apresente bem diante da família e amigos para a despedida derradeira e sou eu, ainda, que o conduzo para a morada eterna. Eu sou um anônimo plural assumido. Tenho vários rostos, várias funções e estou em vários lugares ao mesmo tempo.

Mas, aos olhos da maioria das pessoas, eu sempre serei invisível. Este texto é uma homenagem a todos os queridos inúmeros anônimos indispensáveis em nossas vidas.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

1 COMENTÁRIO(S)

Texto excelente! Como sempre, muito bem escrito e só mesmo tempo, nos deixa curiosos. Parabéns!
comentado por ZENI Ferreira Castilho em 17/08/2021
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751