Colunas

De quatro em quatro anos

Publicado em: 08/08/2018

Quem é patriota o é todos os dias, inclusive em outubro. As eleições são a nossa única chance de dar uma goleada na corrupção. Ou é isso ou é esperar mais quatro anos

 

Quando você estiver lendo este texto é bem provável que a Copa do Mundo 2018 já tenha terminado e que todos já conheçam o novo campeão. Tomara que tenha sido o Brasil. Mas se não foi, bola pra frente. Nós, brasileiros, levamos a sério essa questão de futebol. Em nosso cotidiano, é um tal de vestir a camisa, entrar em campo, cuidar pra não pisar na bola, não dar bola fora e muito menos ser bola murcha. Não arriscamos, chutamos. Não desejamos, torcemos. E se a gente não acertar é porque deu na trave, o que significa que foi por pouco. Se houver alguma dúvida logo alguém explica que a regra é clara. Mas se é bom, é show de bola... 


É uma espécie de dialeto à parte, é uma paixão desenfreada, algo quase insano. E como paixão e razão jogam em times adversários, pais fanáticos registram seus filhos com nomes, sobrenomes e até com apelidos de grandes figuras da história do futebol. Se a criatura vai ser craque ou perna de pau já é outra história.


Quem ama a Pátria, ama todos os dias. Mas nós, não. A grande maioria dos brasileiros sequer desconfia que em 22 de abril comemora-se o descobrimento do Brasil; que em sete de setembro é comemorada a Independência e em 15 de novembro, a Proclamação da República. Nesses dias é raro ver alguém com a cara pintada de verde e amarelo ou com a Bandeira Nacional embrulhando os carros ou estampada nas janelas.


Aqui as pessoas só manifestam seu patriotismo de quatro em quatro anos, nos dias de jogo da seleção brasileira na Copa do Mundo. Nessas ocasiões, cantam o Hino Nacional com os olhos marejados, se vestem com as cores da Bandeira e entoam canções cuja letra diz “Sou brasileiro, com muito orgulho e com muito amor.”  É lindo de se ver. Mas quando o campeonato termina, seja qual for o resultado, acaba também todo o patriotismo do brasileiro. Basta o apito final para todo esse grande amor ser esquecido.


De quatro em quatro anos também, há outro evento importante: as eleições dos novos dirigentes do país. Nesse dia, não dá pra ficar no banco. Nesse dia também é preciso vestir a camisa verde e amarela e entrar em campo pra votar. Mas antes é necessário estudar as jogadas dos escalados porque só merecem a vitória os políticos que não cometem faltas conta o povo brasileiro. Quem é patriota o é todos os dias, inclusive em outubro. As eleições são a nossa única chance de dar uma goleada na corrupção. Ou é isso ou é esperar mais quatro anos. Nesse jogo o craque é você, sou eu, são todos os brasileiros. 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.