A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história

Fora da Oca

Rosí Czepula Meassi
É publicitária e jornalista.

Pra não dizer que não falei das flores

Publicado em: 22/10/2018

Nesta época, também, o calendário marca o Dia do Professor. E mesmo nessa profissão tão nobre, quase nada são flores, nem agora, na primavera. Os mestres, outrora respeitados e quase endeusados, hoje sofrem dos seus “inocentes pupilos” ameaça e agres.


Nesta época do ano, há um colorido novo no ar. Os casacos voltam para o armário e as cores da natureza tomam conta do cenário e passam a ditar a moda e o comportamento das pessoas. As conversas ficam mais leves e os sorrisos ficam mais fáceis. Chegou a Primavera.

Mas como nem tudo são flores, na caminhada matinal é bom não respirar muito fundo porque junto com o CO2, produzido pelos motores dos carros, também estamos inalando outro veneno que pega carona com o vento e viaja até nossos pulmões. Claro que nesse coquetel, ainda há um pouco de oxigênio, até porque respirar é preciso. Então, não deixe de caminhar, pelo bem do seu coração e dos seus joelhos também. E isso vale pra todas as épocas do ano.

Não fosse trágica, essa prática seria cômica, diante de tal inversão de valores: envenenamos nossas culturas para produzir mais; matamos nossas fontes de oxigênio para abrir mais fábricas de gases nocivos ao ser humano, à fauna e à flora. Isso é algo a ser estudado.

Nesta época do ano, os ipês também estão floridos e embaixo de suas árvores formam-se lindos tapetes de pétalas roxas e amarelas. Eu nunca tenho coragem de pisar nelas para não estragar. Mas, mesmo nesses tapetes, nem tudo são flores. Neles há também pontas de cigarro, tampinhas de garrafa de plástico e de metal, dentre outras coisas que não são pétalas de flor. Nunca é demais lembrar que lixo e resíduos sólidos recicláveis têm lugar certo, independente da estação do ano. 

Nesta época também, o calendário marca o Dia do Professor. E mesmo nessa profissão tão nobre, quase nada são flores, nem agora, na primavera. Os mestres, outrora respeitados e quase endeusados, hoje sofrem dos seus “inocentes pupilos” ameaça e agressão física, moral e psicológica. Isso nada tem a ver com educação, ao contrário, tem a ver com tudo, menos com educação. A todos os nossos professores, a nossa gratidão e as flores mais lindas que a estação puder oferecer. Um pouco antes do Dia do Professor, é comemorado o Dia da Criança. E isso é reconfortante porque, se há criança, ainda há esperança para todos os dias de todas as estações do ano.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751