Colunas

Atividade física x exercício físico

Publicado em: 12/07/2021

Ir a pé ao supermercado, lavar o carro no fim de semana e até mesmo ir à academia são atividades físicas. Para elas não existe um plano de planejamento sistemático

A atividade física e o exercício físico, no primeiro momento, parece ser a mesma coisa, porém não é isso. A atividade física está relacionada a tudo o que o corpo do  ser humano pode realizar pela sua capacidade muscular, o que resulta num gasto energético calórico acima do nível basal. Podemos citar alguns exemplos: ir a pé ao supermercado, ou à padaria, lavar o carro no fim de semana e até mesmo ir à academia – essas ações são atividades físicas. Para elas não existe um plano de planejamento sistemático e orientado para determinado objetivo, seja para o emagrecimento, para a hipertrofia, para o ganho de massa magra (aumento de fibras musculares) ou mesmo para o controle da saúde corporal. 

Já no exercício físico, para que assim seja considerado, existem certas etapas de desenvolvimento que obrigatoriamente devem ser realizadas antes da atividade ser proposta, como por exemplo: uma boa avalição física para poder identificar os objetivos e ou para identificar os padrões de normalidade fisiológica do organismo. Além do mais, para uma boa avaliação física existem mais seis (06) componentes que devem ser levados em consideração (para serem considerados exercícios físicos). São eles: 1- Modalidade; 2- Gasto calórico; 3- Frequência semanal; 4- Intensidade; 5- Duração; e 6- Progressão.

Estes são os componentes que obrigatoriamente são necessários e devem estar inseridos no processo para uma boa prescrição física de exercícios. Pois há a necessidade de o exercício físico provocar uma ação crônica no organismo. Isto é, provocar uma mudança conformacional celular permanente no ambiente celular, seja nos órgãos ou no sistema muscular esquelético. No componente modalidade será trabalhado o sistema aeróbico ou de determinado tipo de força; porém, será definido após uma boa avaliação física. No componente gasto calórico semanal será realizado o cálculo de gasto calórico de cada sessão de treinamento para chegar ao objetivo mais rápido e com alto grau de assertividade do objetivo proposto.

 A frequência semanal deverá ser de no mínimo de 6 a 7 dias de treinamento para desenvolver o efeito crônico do exercício físico no organismo.  Seguindo o planejamento do exercício físico, a intensidade será estipulada para não provocar o estresse fisiológico nas células provocado pelo exercício físico, pois saber o volume de intensidade de trabalho do exercício físico (pode ser de 50%, 60%, 70%, 80% ou 90%) evitará a produção de um hormônio que eleva o estresse no ambiente fisiológico - o chamado cortisol – assim poderá ser provocado, pelo exercício físico, o efeito crônico para melhorar o objetivo e o desempenho físico. 

O componente progressão está correlacionado aos princípios do treinamento para a programação dos exercícios físicos que estão intimamente relacionados aos microciclos de treinamento, como introdução, condicionamento ou recuperação – cada um tem suas características próprias. É a estruturação científica das atividades físicas - que distribuídas através de meios e métodos devem atingir os objetivos desejados. Por fim, se, no entanto, faltar qualquer um desses componentes científicos. não serão consideradas como “exercício físico”, e sim “atividade física”.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

1 COMENTÁRIO(S)

Parabéns! Muito bom o texto. Claro,objetivo e informativo.
comentado por Amelia em 13/07/2021
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!