A revista mais premiada do Paraná
13 anos de história

Mulheres Líderes

Gisele Gomes
Gisele Gomes é embaixadora do Programa Rede Global de Mulheres Líderes – GWLN/WOCCU no Brasil
MULHERES LÍDERES

Vieses inconscientes

Publicado em: 21/05/2020
"Nada atualmente é tão importante na economia política do desenvolvimento quanto um reconhecimento adequado da participação e da liderança política, econômica e social das mulheres. Esse é um aspecto crucial do desenvolvimento como liberdade" 
Amartya Sen, Prêmio Nobel de Economia de 1998
 
Vieses inconscientes. “Se você tem um cérebro, você tem um viés”. O debate acerca do tema vieses inconscientes, ou ainda como alguns preferem chamar, vícios de percepção, tem estado em destaque nos últimos anos e faz parte de um escopo maior denominado diversidade e inclusão. O tema impacta de forma direta a agenda de gênero, em especial a questão da participação equânime das mulheres na sociedade e no mercado de trabalho. 

Os vieses inconscientes são preconceitos incorporados no nosso dia a dia. São associações que fazemos, muitas vezes sem pensar e que acabam por criar estereótipos ligados a gênero, raça, orientação sexual, idade e outros. Estes vieses são construídos ao longo da vida, com base no que ouvimos na infância, interações com amigos, filmes que assistimos, notícias na TV e no jornal. Em 2017 rodou pelas redes sociais um enigma que elucida bem a questão dos vieses e que ainda hoje utilizamos em palestras sobre o tema. 

Vamos ao problema proposto?  “Pai e filho sofrem um acidente terrível de carro. Alguém chama a ambulância, mas o pai não resiste e morre no local. O filho é socorrido e levado ao hospital às pressas. Ao chegar no hospital, a pessoa mais competente do centro cirúrgico vê o menino e diz: ‘Não posso operar este menino! Ele é meu filho!” Por favor, responda, quem é a pessoa mais competente do centro cirúrgico e que não pode operar o menino? Certamente é a mãe! Mas muitas pessoas respondem que é o avô, padrasto ou ainda que o pai ressuscitou. E o fazem porque inconscientemente acreditam que a pessoa mais competente e cirurgiã não pode ser uma mulher. 

O lado bom é que tudo tem solução e podemos também treinar o nosso cérebro para lidar com problemas complexos de um mundo em constante transformação. A neurociência explica bem este fenômeno. A autora Cordelia Fine em seu livro “Testosterona Rex” nos diz que o cérebro humano do século 21 ainda é o mesmo cérebro do homem da idade da pedra. Ainda, segundo o neurocientista Antônio Pereira, o cérebro que temos hoje é adaptado para lidar ainda em um ambiente ancestral e não com o ambiente complexo e globalizado que vivemos hoje. 
Recomendo que vocês conheçam o Projeto Implícito (https://implicit.harvard.edu/implicit/brazil/). Fundado em 1998, o projeto estuda a neurociência, de forma a entender como os mecanismos do cérebro fazem ou não com que as pessoas tomem decisões de forma automática e oferece testes gratuitos para testar o quão preconceituosos somos. 

Existem inúmeros tipos de vieses inconscientes, dos quais destacamos: 1. viés de afinidade: é a tendência de avaliar melhor quem se parece conosco;  2. viés de percepção: quando reforçamos estereótipos que são definidos por influência da sociedade ou cultura na qual estamos inseridos; 3. viés confirmatório: procuramos informações que confirmem as nossas hipóteses iniciais e rejeitamos as que são contrárias, 4. efeito de halo: exibimos uma preferência inconsciente com apenas uma informação positiva ou agradável da pessoa, o que nos leva a avaliar positivamente todo o restante das informações, 5. efeito de grupo: seguimos o padrão de um grupo. 

Reconhecer que temos vícios de percepção e que podemos mudá-los é um passo importante na construção de um mundo mais justo e consciente. Todas as esferas da sociedade poderiam ganhar. Segundo dados do Banco Mundial (2018), se houvesse igualdade salarial entre homens e mulheres o PIB mundial seria superior em 26%. Isto é também, capitalismo consciente. O desenvolvimento como liberdade (título do livro de Amartya Sen) precisa de todos nós. Vamos juntos? 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

1 COMENTÁRIO(S)

Muito bom. Nos convida pensar, quais são os vieses que precisamos trabalhar em nossos relacionamentos.
comentado por Claudia em 02/06/2020
Muito obrigada Claudinha pelo teu retorno. Só o conhecimento ilumina, não é mesmo?
comentado por Revista Aldeia em 08/06/2020
© 2021 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751