Colunas

O brilho da boa geração de Cascavel

Publicado em: 15/04/2019

“Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho”
Jorge Paulo Lemann

Até por sua formação histórica, Cascavel carrega alguns estigmas: curva de rio, fazenda iluminada, terra de jagunços e das fortunas amealhadas à custa e sangue. O discurso negativo é tão forte que alimenta piadas pejorativas replicadas sem consciência alguma.

Este olhar sobre a cidade é danoso. Uma coisa é ter um pensamento crítico e propor alternativas. Outra é a crítica vazia. Cascavel está além destes discursos. É uma cidade que pulsa energia. É uma cidade que vibra por si só. 

Digo, sem medo, que Cascavel vive um de seus melhores momentos. É aí que entra o que tenho chamado de “boa geração”. São os empreendedores jovens que estão dando uma nova configuração à cidade. E, o melhor, sem os velhos resquícios. 

Esta mesma geração veio com um plus. Não aceitam mais o amadorismo, o jeitinho, a picaretagem e o lucro por si só. São transparentes, dinâmicos e, sobretudo, honestos. Também acreditam num propósito e entendem a cidade como um espaço coletivo que precisa ser compartilhado de forma sustentável.

É esta geração que está inovando Cascavel. Quando falo de jovens, são homens e mulheres na faixa de 25 a 35 anos, que não se contentam em “abrir uma portinha” apenas. Eles querem mais. Estão sempre estudando, analisando mercado, vendo perspectivas, investimento e evoluindo! Quer conhecê-los? Dê uma volta na cidade e, quando enxergar um layout clean, moderno e com algum toque especial, entre. Tem um jovem entusiasmado lá dentro! E ele, com certeza, vai te receber... 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.