Colunas

Xampu para os olhos

Publicado em: 22/11/2019

Se você nunca ouviu falar em xampu para os olhos, não se preocupe, eles não existem. A expressão correta é “xampu nos olhos”. Esta é daquelas histórias inacreditáveis, quase uma lenda, mas é pura verdade. Ouvi de uma professora. O personagem é um jovem estudante de 20 anos. Um preguiçoso convicto.

Preguiça de vez em quando, faz parte. Quem nunca? Porém, o rapazinho aí da história ultrapassou qualquer limite do bom senso. Para simular conjuntivite, conseguir atestados de médicos desavisados e faltar ao trabalho e à aula, esfrega xampu nos olhos. O vermelhão é imediato. Somente neste ano conseguiu 40 atestados, migrando de médico em médico.

Se a preguiça é um dos sete pecados capitais, esse rapaz aí tá condenado para o resto da vida. Neste estado exacerbado de repouso e aversão ao trabalho será sempre um parasita. Um parasita sem caráter que se submete ficar horas e horas trapaceando num posto de saúde, mas não tem coragem de viver! 

Faz mal para si mesmo, pois nega o seu próprio desenvolvimento. Faz mal para os outros, pois age com egoísmo. E o pior, orgulha-se de sua esperteza. Será isso esperteza? Conversando com uma técnica de enfermagem, ela me confidenciou que, às vezes, alguns malandros espirram desodorante spray nos olhos. Lastimável, mas real. Agora, fico me questionando: que legado esta geração de preguiçosos vai deixar? 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!