Colunas

Vocação é para poucos

Você não deve se preocupar se não tiver uma vocação, se não tem lá os talentos tão visíveis. A sua vida ainda pode valer a pena e você ainda pode ser feliz! Faça a sua parte bem feita e relaxe.

Com a programação da TV tomada pelas notícias de campanhas, pesquisas eleitorais e as redes sociais mais cheias de certezas e fake news dos últimos anos, tenho mudado o foco novamente pra leitura e pra alguns canais de informações que me tragam novos conhecimentos, bem diferentes do meu dia-a-dia de tecnologia e burocracia.

Um tema que me chama bastante atenção é a busca pela ‘Realização Profissional’. E à medida que vou amadurecendo, com as mudanças acontecendo nas carreiras e profissões de todos, fico aqui analisando esse mundo corporativo atual, com as pressões cada vez maiores a que todos estamos submetidos. ‘Tudo é uma questão de escolha’, ‘Não fique na zona de conforto’ ou ‘Seu sucesso depende de você!’.

É o que mais se ouve. E ficamos todos numa corrida desenfreada, loucos para sermos sempre ótimos, para conquistarmos ‘nossos objetivos’. Serão mesmo nossos? Temos, mesmo, todos uma vocação nesse mundo? Temos todos um talento que nos diferencia dos demais?

Buscando por uma definição para esses termos, encontrei uma que me agradou, do doutor em Psicologia Clínica, Luiz Alberto Hanns: “Talento é o que você faz acima da média. E nem sempre o seu talento é algo que você goste realmente de fazer. Às vezes até pode ser que sim. Na maioria das vezes, sim. Vocação é quase um chamado interno. É como se você dissesse: olha, eu estou disposto a pagar pra fazer isso”.

Vocação é para poucos. Talento já é mais comum. Ainda assim, talvez nem todos tenham talentos. Talvez tenhamos que entender que será necessário levar a vida com algumas satisfações, encontrando prazeres naquilo que fazemos, e claro, buscar um ambiente e um trabalho que nos permite ter mais momento alegres nessa contabilidade do dia a dia; que não seja um ‘sacrifício’.

Olhando para as nossas necessidades de sobrevivência em dias atuais, possivelmente então, para maioria das pessoas o trabalho não seja algo maravilhoso, e seja um mito que todos temos vocação e talentos natos. E se você não tem, está tudo bem. Você ainda pode ser feliz, fazendo o que faz. Não se cobre tanto, e principalmente, não se compare. Pode ser também que você tenha menos necessidades que algumas pessoas.

A realização profissional pode ser um ideal para muitos. Não para todos. O dia a dia não precisa ser sempre fulgurante e para a maioria não é. Os discursos de autoajuda podem ser bons motivadores para muitos de nós, e podem não ter o mesmo efeito em muitos. Precisamos de muita motivação para enfrentar todas as situações que se apresentam em nosso caminho. E, por vezes, buscamos essa inspiração em outras pessoas, de forma a nos retroalimentar, no que também não vejo problema algum.

Pra concluir, penso que você não deve se preocupar se não tiver uma vocação, se não tem lá os talentos tão visíveis. A sua vida ainda pode valer a pena e você ainda pode ser feliz! Faça a sua parte bem feita e relaxe!

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.