Colunas

Vítimas de trânsito. O que temos feito?

Publicado em: 13/12/2019

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS/ONU), os acidentes de trânsito matam cerca de um milhão e meio de pessoas por ano em todo o mundo. O número de feridos pode chegar a 50 milhões de pessoas ao ano

É o momento de uma reflexão profunda a este respeito. O que temos feito para evitar que tantas pessoas tornem-se vítimas do trânsito em todo o mundo? Quem são os responsáveis? Os veículos? As Vias? Os usuários das Vias? Os governantes?
Todos têm sua parcela de culpa na medida em que os veículos não apresentam a segurança necessária, que as ruas e estradas não tenham pavimentação ou duplicação adequadas, que os motoristas ou pedestres não sejam prudentes ou que os governantes sejam irresponsáveis.

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS/ONU), os acidentes de trânsito matam cerca de um milhão e meio de pessoas por ano em todo o mundo. O número de feridos pode chegar a 50 milhões de pessoas ao ano. Brasil, China e Índia respondem por 40% das mortes globais de acidentes devido ao tamanho da população, à taxa de motorização e à frágil legislação de trânsito. 

E quais são os principais fatores acidentógenos que nos envolvem? São seis as maiores causas de mortes no trânsito: 1) excesso de velocidade; 2)  consumo de bebidas alcoólicas na direção veicular; 3) falta do cinto de segurança nos bancos dianteiros e traseiros; 4)  falta do equipamento de segurança para crianças (as cadeirinhas do Bolsonaro); 5)  falta do capacete aos motociclistas; e 6)  uso do celular ao volante.

Mortes dessa natureza são a principal causa de morte entre crianças de 5 anos a jovens até 29 anos em nosso país. A cada minuto, pelo menos uma pessoa fica inválida, e a cada 12 minutos, uma pessoa morre por acidente de trânsito. Como proceder? 
Aumentando os limites de velocidade e retirando os radares?  Aumentando a pontuação dos infratores na CNH? Aumentando o tempo de validade da CNH? São estas as propostas para que tenhamos um trânsito mais seguro? Então o que devemos fazer é tentar fugir como nunca das estatísticas. Salve-se quem puder.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!