Colunas

Tecnologia a serviço do crime?

Publicado em: 18/09/2020

Segundo o ‘SOS Estradas’, milhares de youtubers postam rachas, que são crimes de trânsito, dirigindo a mais de 300 km/h em rodovias do país

Até que ponto a mídia social pode ser um meio de comunicação saudável ou, quando sem controle, pode incentivar notícias falsas e até crimes de trânsito? Vamos nos ater apenas ao trânsito, que é o objetivo desta discussão, e falar sobre o Youtube, onde são veiculados vídeos considerados como incitação ao crime.

Segundo o ‘SOS Estradas’, milhares de youtubers postam rachas, que são crimes de trânsito, dirigindo a mais de 300 km/h em rodovias do país. A falta de uma legislação adequada aos novos tempos provoca a impunidade destes criminosos do trânsito. 

E o pior, a maioria é remunerada pela publicidade dos anúncios do Google no Youtube e alguns chegam a faturar dezenas de milhares de reais por mês.

E quando as autoridades tentam agir, descobrem que não conseguem, sequer, a retirada do ar dos vídeos de rachas, que incitam a prática de crimes de trânsito. A empresa, com sede no exterior, está longe do alcance das leis brasileiras, apesar de ter profissionais trabalhando no país, cientes dos crimes praticados.

E como se não bastasse, o próprio Youtube manda aos infratores cartas parabenizando os criminosos quando atingem 100 mil seguidores, estimulando-os a alcançarem 1 milhão de simpatizantes, com direito à placa que eles mostram com orgulho para seus fãs.

Deve haver, portanto, uma profunda reflexão sobre a liberdade ou até a cumplicidade das redes atuais de comunicação, a que todos têm alcance, pois estimulam, na maioria pessoas jovens, a postarem seus delitos de trânsito como rachas em velocidades absurdas e manobras radicais com seus carros e motos. 

Felizmente um Projeto de Lei (PL) de nº 130/2020 está tramitando no Congresso Brasileiro, aguardando a designação do Relator na Comissão de Viação e Transportes (CVT) pronta para Pauta no Plenário (PLEN).

A Ementa altera a Lei nº 9.503 para dispor sobre as sanções por divulgação por parte do infrator de condutas infracionais de risco praticadas por ele, nas redes sociais e outros meios de divulgação digitais, eletrônicos ou impressos. Creio que desta forma haverá meios de condenar penalmente delitos desta natureza, que colocam em risco a vida do transgressor e a de terceiros. Nosso trânsito deve ser comportado.

É mobilidade com segurança. Ponto.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!