Colunas

Uma curiosa maçã

Publicado em: 29/08/2019



A crença popular atribui à maçã-de-elefante grande poder medicinal, principalmente como analgésico, no combate das dores musculares, inflamações, artrose e reumatismo

Como gosto muito de conhecer e cultivar, acabo conhecendo algumas plantas no mínimo curiosas. Uma delas é a maçã-de-elefante (Dillenia indica). Conhecida popularmente como flor-de-abril, árvore-do-dinheiro, fruta-cofre, bolsa-de-pastor ou dilênia, é uma árvore linda, originária da Índia e foi trazida para o Brasil na época de D. João VI. 

Reza a lenda que D. Pedro I brincava no Jardim Imperial, colocando moedas (patacas) em suas flores quando abertas e, ao fecharem, elas guardavam o dinheiro em seu interior. Daí um dos seus nomes populares.

Planta utilizada como árvore ornamental, possui folhas grandes de intenso e chamativo verde, e flores muito belas. Dos seus frutos com aparência de coco, volumosos e pesados, a polpa, a semente e a casca são consumíveis como alimento em várias partes da Ásia. É uma excelente fonte de proteínas, carboidratos e aminoácidos.
 
A polpa pode ser utilizada em doces, sucos e conservas. A crença popular atribui à maçã-de-elefante grande poder medicinal, principalmente como analgésico, no combate das dores musculares, inflamações, artrose e reumatismo. Eu mesma fiz algumas garrafadas e utilizei. Asseguro que consegui algum alívio em picadas de insetos e em dores musculares. Cheguei a fazer também suco dos frutos; tem gosto forte, mas refrescante. 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!