Colunas

Manacá-da-serra


Pela beleza, a árvore tem forte apelo paisagístico, até porque o porte pequeno não concorre com a rede elétrica das cidades e suas raízes não são agressivas aos calçamentos!

Manacá-da-serra (Tibouchina mutabilis), cuipeúna, pau-de-flor ou jacatirão é uma árvore nativa da Mata Atlântica e chega a medir mais de dez metros de altura, pertence a mesma família da quaresma ou quaresmeira (Tibouchina urvilleana).

Já o manacá-da-serra-anão ou “nana” é uma variedade arbustiva da mesma planta; atinge rapidamente mais de dois metros de altura, dá flores quando alcança meio metro. Por suas características, pode ser cultivado em calçadas e até mesmo em grandes vasos.

Suas flores são muito resistentes e duram um bom tempo; inicialmente brancas, passam por um tom violeta e chegam ao rosa em estágio final. É comum uma mesma planta apresentar flores nos variados tons.


FLORAÇÃO

As duas variedades são empregadas como planta ornamental em todo país, apresentam raízes pouco agressivas, rápido crescimento e floração vistosa; no caso do arbusto, principalmente no inverno, e no verão no caso da árvore.


SOLO

Ambas multiplicam-se por estacas e sementes. Na variedade “nana”, somente a reprodução por estacas garante as características originais; a reprodução por semente pode gerar árvores de grande porte e não arbustos idênticos aos originais. Fácil de cultivar, o manacá-da-serra gosta de solo úmido, mas bem drenado e com boa adubação, preferencialmente orgânica.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.