Colunas

Nunca, nunca reclame!

Publicado em: 17/02/2021

“Somos tão complexos, que, quando não temos problemas, nós os criamos”
Cury

Se como seres humanos pararmos para analisar a nós mesmos, logo perceberemos o quão contraditórios somos. Se está calor, resmungamos: “Nossa, que tempo ruim, bem que poderia cair uma chuvinha”. Contudo, quando os primeiros montantes de água começam a regar a terra, reclamamos: “Por Deus, não dá para fazer coisa alguma com essa aguaceira!”

É necessário compreender que nosso cérebro foi preparado para trabalhar, criar soluções, resolver problemas, inventar. Assim sendo, ele sempre irá procurar alguma situação conflituosa a fim de resolvê-la, ainda que nenhum dilema haja em vista.

Esse é o motivo pelo qual as pessoas reclamam tanto - é o cérebro criativo procurando algum problema para solucionar. Já se deparou com cidadãos, que, quando estão com a vida em dia, reclamam até mesmo da própria sorte? Como disse o psiquiatra, escritor e pensador Dr. Augusto Cury, “somos tão complexos, que, quando não temos problemas, nós os criamos”.

Se gastarmos energia em reclamar minimamente por circunstâncias insignificantes, quando alguma catástrofe realmente chegar, nossas ideias serão sucumbidas, pois os neurônios estarão exaustos demais para lidar com isso.
Portanto, decida hoje parar de reclamar. Não seja o rabugento que franze o rosto pelo copo deixado na mesa; ou a esposa chata que resmunga pela toalha esquecida na cama; ou ainda, o chefe que faz grande questão de reparar no quadro que não está simetricamente posicionado. Ninguém aguenta uma pessoa que reclama o tempo todo!

Já viu indivíduos que reclamam do trânsito e das ruas esburacadas toda vez que dirigem? E aquela vovozinha que sempre enfatiza: “Oh, eu sinto uma dor que começa nas pontas dos pés e chega até o meu último fio de cabelo”. Pessoas assim, sempre enfrentarão problemas no trânsito, e sempre terão dores. 

Acredite, quanto mais reclamar, maior será o número de conflitos e inquietudes que terá para resolver. Ou em algum momento da vida, rezingar por estar atrasado, lhe fez chegar de fato no horário? Talvez, o único ganho disso seja algumas discussões no trânsito, ou um carro amassado.

Minha falecida avó dizia – “a vida é tão bela, a gente que não sabe viver”. Não tenho dúvida de que ela tinha razão. Na jornada terrestre, nem tudo é ferro e fogo; é preciso aprender a relevar, ser mais flexível com o próximo, e, quem sabe, engolir até alguns “sapinhos” pelo caminho. Garanto que sua vida será bem mais leve, e menos rancorosa, se deixar a cosmovisão da reclamação, e abraçar a benignidade como irmã.




 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

3 COMENTÁRIO(S)

Excelente texto, amei :D
comentado por Caroline Teixeira em 18/02/2021
Obrigada Caroline. Foi produzido com muito carinho.
comentado por Revista Aldeia em 19/02/2021
Excelente texto, perfeito para uma reflexão.
comentado por Silvana em 18/02/2021
Ficamos felizes com sua percepção Silvana. Que a paz e a esperança irradie sempre o seu interior.
Beijos!
comentado por Revista Aldeia em 19/02/2021
Matéria fantástica, muito significativa para os dias atuais! Amei
comentado por Adrielle kalschne em 18/02/2021
Pois é Adrielle, reclamar da vida de nada adianta não é mesmo? Obrigada linda!
comentado por Revista Aldeia em 19/02/2021
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!