Matérias

Edição 132
MULHERSER

Você apoia ou boicota?

Texto Rejane Martins Pires
Foto(s) Bruna Scheidt

Publicado em 27/09/2019



Sendo bem sincera, quando você vê uma mulher empreendendo, você apoia ou boicota? Em suas escolhas, prioriza o empreendedorismo feminino? Divulga? Consome um serviço ou produto dela?

Muito se fala em solidariedade feminina, a famosa “sororidade”. Mas, sendo bem sincera, quando você vê uma mulher empreendendo, você apoia ou boicota? Em suas escolhas, prioriza o empreendedorismo feminino? Divulga? Consome um serviço ou produto dela? Paga o preço justo ou regateia, tentando menosprezar o seu trabalho?

Já parou para refletir sobre isso? Se não, está na hora. Pois, se empreender no Brasil já é difícil, imagine para as mulheres. Além das barreiras culturais, há as questões econômicas. As mulheres, segundo pesquisa recente da Rede Mulher Empreendedora (RME), têm, sim, menos recursos financeiros que os homens. Mesmo assim, o número de mulheres empreendedoras cresce. Sem apoio e sem dinheiro, mas cresce. 

Mas, afinal, o que está por trás deste fenômeno? “Está o ser mulher”, responde a consultora empresarial Pamela Krüger. “E o ser mulher é persistir e transpor obstáculos todos os dias”. Quando uma empreende, explica, ela melhora todo o seu ambiente e impacta positivamente outras mulheres. Foi justamente para discutir questões como esta que o Núcleo Acic Mulher realizou o 1º Fórum Mulher Ser, reunindo mais de 200 mulheres na Acic.

Liderança que inspira
Realizado com o tema “Liderança que inspira”, o grande mérito deste primeiro fórum, segundo a coordenadora do núcleo, Rozelaine Tres Nardino, foi reunir empreendedoras de diferentes áreas, porém com desafios muito comuns, para juntar energia e experiência e, assim, ajudar outras mulheres que já estão à frente de um negócio ou que desejam abrir uma empresa. 

“Mulher Ser”, explica Rozelaine, faz uma alusão à condição feminina na atualidade e à coragem das mulheres em empreender, equilibrando com maestria seus outros papéis tanto no campo profissional como pessoal. “Embora as mulheres tenham alcançado patamares de poder e participação há algum tempo inimagináveis, ainda precisam ocupar espaços, sobretudo no mundo corporativo”, ressalta.  

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!