Matérias

Edição 134
UMA PERGUNTA | Padre Zico

Por que tanto ódio?

Publicado em 25/11/2019

Em tal matéria ninguém pode pretender o esgotamento da verdade. Destaco, segundo minha percepção, duas motivações. Uma mais pessoal e a outra mais social.

A mais pessoal: “Personalidade emocional frágil”.  Não de hoje, mas muito mais hoje, as pessoas não estão sendo educadas para saberem lidar com o fracasso e a frustração, realidades que, cedo ou tarde, todos enfrentamos. Infelizmente, estas experiências – fracasso e frustração – passaram a ser erroneamente experimentadas como verdadeiros ataques pessoais, injustiças, violência... Ora, daí resulta, nestas situações, muitos cultivarem e responderem com ódio aos outros, achando que deste modo estão se defendendo ou até fazendo justiça. Por isso, creio que educar para o saber lidar com frustração e fracasso é necessário e urgente.

A mais social: “Dividir para conquistar”. Dividir é uma das mais antigas táticas de guerra. Até por isso, Nosso Senhor Jesus Cristo alertou: “Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado” (Mt 12,25). Aliás, o próprio nome, Diabo, significa divisor: agir dividindo é agir diabolicamente. Neste caso, trata-se de uma estratégia: dividir, manipular os líderes para que criem grupos e mais grupos e colocá-los em confronto. Para tanto, nada melhor do que plantar uma cultura de ódio e usar este sentimento como força motriz, pois capaz de grandes e nefastas coisas. A isto, a resposta dada por Jesus é o seu mandamento: “amai-vos uns aos outros como eu vos tenho amado”(Jo 13,34).
Padre Zico, pároco da Paróquia 
Nossa Senhora de Fátima, no Bairro Cancelli

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!