Matérias

Edição 139
CAMPANHA

#CortaEssa

Publicado em 02/06/2020



Ação liderada por mulheres de agência de publicidade debate a representatividade feminina nos cargos de liderança no país
 
Todos os anos, o sentimento costuma ser o mesmo entre mulheres que trabalham em agências de publicidade: conforme o Dia da Mulher se aproxima, vai batendo uma apreensão sobre como as marcas, sejam clientes ou não, vão se posicionar e comportar em relação à data. A representatividade escassa no meio (em 2019, segundo levantamento do Site/Jornal Meio & Mensagem, as mulheres correspondiam a apenas 26% dos profissionais da área) causa, muitas vezes, ruídos na comunicação entre marcas e o público feminino. Com frequência vemos o propósito da data se perder em meio a superficialidades e apropriações de discurso - na maior parte das vezes, feitas por empresas que não têm nada a dizer.
 
Em um movimento de antecipação, a DBPV, agência de publicidade do Paraná, levantou um projeto, com base em dados, para combater esse cenário. A ação #CortaEssa surgiu após as mulheres responsáveis pelo projeto, dos times de criação e estratégia, se depararem com dados alarmantes sobre a representatividade feminina no mercado de trabalho brasileiro. “A reunião de brainstorm já tinha ido pra vários lados, mas nenhum deles era ‘o’ caminho. Até que vimos o gráfico e comentamos ‘parece uma tesoura podando nossa trajetória’. Era isso: esse era o nosso conceito”, conta Cindy Juraszck, responsável pelo planejamento da ação.
 
Os dados encontrados apontam que, apesar de serem maioria entre alunos universitários e população graduada com emprego, as mulheres ainda são minoria absoluta nos cargos executivos e de liderança. Além disso, a desigualdade salarial entre homens e mulheres gira em torno dos 20% no Brasil./arquivos/images/Foto%201.png
/arquivos/images/Foto%203.png















Essa mesma tesoura foi usada pra contar uma história bem diferente e cortar pela raiz qualquer papo furado que não traz representatividade. A campanha foi iniciada com um filme baseado nos dados apresentados e se materializou na forma de um kit enviado para mulheres parceiras da agência. Em um ato simbólico, os materiais as convidavam a passar a tesoura no machismo, na intolerância, na desigualdade e todas essas fitas erradas. Ao longo do mês de março, também foram publicados conteúdos diversos sobre a ação nas redes sociais da agência.

 
/arquivos/images/Foto%204.png

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!