Matérias

Edição 142
IMOBILIÁRIA

O nicho da Deon

Texto Rejane Martins Pires
Foto(s) Bruna Scheidt

Publicado em 21/08/2020

Quando duas gerações se cruzam, resolvem quebrar paradigmas e apostar num nicho de mercado pouco valorizado e até desprezado. Esta é a história da Imobiliária Deon!

Se você tivesse uma empresa com alguns anos de caminhada, arriscaria colocar três jovens como sócios na administração dos negócios? Pois bem. Foi exatamente isso que aconteceu na Imobiliária Deon. Os fundadores José Ivo da Silva e Celomar Deon nem cogitavam ampliar a sociedade quando receberam uma proposta inusitada. Durante uma visita com um cliente num dos imóveis da Deon, o corretor Fernando Biedermann caiu nas graças de “seo” Ivo. 

Encantado com o dinamismo do jovem, convidou-o para trabalhar com ele, como funcionário, é claro. Educadamente, Fernando ouviu as pretensões do empresário e correu para falar com Alisson, amigo e colega de faculdade. Ambos cursaram Administração juntos e sonhavam em montar um negócio. Na cabeça dos dois estava tudo esquematizado. Seriam sócios. A certeza era tanta que convidaram outro amigo para abraçar a ideia, André Medeiros. 

Formado em Ciências Contábeis e já atuando como corretor, ele aceitou conhecer a tal “imobiliária”: uma portinha de frente para a Estrada Rio da Paz. “Chegando lá o André olhou e ficou meio desconfiado. Mesmo não acreditando muito, topou conversar”, conta Fernando. Até então, os proprietários nem desconfiavam do plano dos “meninos”. Sem muito rodeio, foram logo falando que queriam ser sócios, tinham muita vontade de trabalhar e crescer e, em seis meses, teriam mais cinco corretores atuando na Deon, sala nova, fachada nova, posicionamento novo. Tudo novo!

Como esperado, seo Ivo achou graça, mas gostou dos rapazes. Em novembro de 2018, tornaram-se sócios. Uma guinada e tanto nas carreiras de cada um e na própria Imobiliária Deon, à época com seis anos e restrita à venda de imóveis da própria construtora.

Nicho desprezado 
Enquanto as demais imobiliárias da cidade estavam concentradas em imóveis de médio e alto padrão, a Deon mudou o foco. Estudou a concorrência, identificou os erros e apostou em um nicho pouco valorizado, muitas vezes até desprezado: o público do programa “Minha casa, minha vida”. Ao simplificar a venda, ajudando os clientes desde a escolha do imóvel à documentação necessária para o financiamento e, em alguns casos até orientações de educação financeira, tornaram-se em especialistas. “Ao invés de vender um imóvel de R$ 500 mil, optamos por vender dois de R$ 200 mil ou três de R$ 180 mil. É o que tem dado certo”, dizem.
 
/arquivos/images/BRU_7598.jpg

Jamais perder a essência
Esse modelo de negócio não apenas permitiu que a imobiliária passasse de uma carteira de 12 para 2 mil imóveis em dois anos, como também abrisse vaga para mais nove corretores, todos formados na cartilha da Deon. Entre as lições, marketing, gestão, liderança, negociação e o principal, respeito e transparência. E nada de promessas irrealizáveis. 
Fazendo isso, logo se diferenciaram em relação aos concorrentes. "Se trouxéssemos corretores antigos, só íamos perpetuar os erros, como o mau atendimento e o descaso. Em regra, nossos clientes são pessoas de baixa renda e podem, sim, comprar um imóvel, inclusive sem entrada”, explica Fernando.
Graças a isso, se tornaram referência. “Nosso propósito é bem claro. Ajudar nosso cliente e lutar pelo seu sonho. Muitas vezes será o único imóvel da vida dele. Então, vibramos juntos. É esta a energia que nos move”, diz Alisson.

Ciclo virtuoso
Outro diferencial da Deon está na predominância dos imóveis novos. “Nosso cliente não é só o que compra, mas o que vende também. Valorizamos muito este construtor de demanda e temos um trabalho consistente com 15 construtoras que primam sobretudo pela qualidade e prazo”, reforçam. 
A relação com as construtoras é tão forte que naturalmente acontece um ciclo virtuoso. “Elas constroem, vendem, recebem o valor do financiamento, adquirem um novo terreno, constroem novamente e assim por diante. Tem clientes que participam deste ciclo mais de três vezes”, pontua André. Entra aí o equilíbrio da negociação.  “Tem que ser boa e justa para os dois lados, construtor e cliente final”.
 
/arquivos/images/BRU_5736.jpg
André, Fernando e Alisson, a nova geração à frente da Imobiliária Deon: mais respeito e carinho com o público do “Minha casa, minha vida”


Vinicius, o primeiro corretor
Espere qualquer coisa do trio Fernando, Alisson e André. Menos medo. Eles são ousados, criativos e, o mais importantes, mutuais. Sabem reconhecer a caminhada dos fundadores, como sabem reconhecer a dificuldade de quem está começando. Exatamente dois meses depois que assumiram a Deon apareceu Vinicius, um rapaz todo animado à procura de um imóvel para comprar. Por questões óbvias – perdeu o emprego e a namorada – não comprou o imóvel. Mas, conversa vai, conversa vem, se interessou pela profissão de corretor. “Você me ensina?”, perguntou a Fernando. “E por que não”, foi a resposta. “Quando ele trouxe o currículo, me vi nele. Um jovem, começando a vida, sem experiência e pouca oportunidade. Contratamos. No primeiro mês parecia que não ia decolar. Hoje é o maior vendedor da Imobiliária Deon”, conta. Integram também a equipe de corretores Paulo Montouto (que está desde o início da nova administração), Agda Marta, Jaci Alves, Vinicius dos Santos, Eudes Silva, Leones Moro, Gabriele Wichoski, Luís Felipe Bisinella e Marcos Paulo, com suporte especial da secretária Guiomar Antunes. 


GRUPO DEON
A Imobiliária Deon integra o grupo Deon, fundado em Cascavel há mais de 20 anos. Primeiro nasceu a Materiais de Construção Deon (Rede Bem Viver), depois a Construtora Deon e, fechando este tripé, a imobiliária.


 
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!