Matérias

Edição 143
PRÊMIO ALDEIA 2020

2020, um ano que está dando o que falar!

Texto Rejane Martins Pires

Publicado em 23/09/2020

PRÊMIO ALDEIA 2020


PRÊMIO ALDEIA 2020 - Conheça a jovem vencedora do Prêmio Aldeia 2020. Valentina Cezarotto, de 13 anos, escreveu com o coração e conquistou seu espaço na edição deste mês. 

2020, um ano que está dando o que falar!
Ah, 2020! Esse ano está sendo um ano e tanto, começando pela pandemia do novo coronavírus. Um vírus de alto contágio, que nos fez ficar em quarentena. Literalmente do dia para a noite, tudo mudou. Dia 20 de março, dia do meu aniversário de 13 anos, as aulas em todo o Paraná foram suspensas. Imaginávamos que a quarentena não passaria de 3 meses. E cá estamos, em julho. Vimos muitos acontecimentos ruins nessa quarentena. Ciclone bomba, nuvem de poeira e nuvem de gafanhotos são alguns exemplos. Olhando por outro lado, ocorreram também coisas boas, principalmente nos lares. Famílias que estavam se distanciando se aproximaram, e pais, que trabalhavam longe de casa, agora estão em home office e têm mais tempo para os filhos.

Na minha casa somos eu, minha mãe, meu pai, meu irmão e minha irmã (gêmeos, e 4 anos mais novos que eu). Como irmã mais velha, ajudo meus irmãos e cuido deles durante o dia. Se eu dissesse que as aulas online estão sendo fáceis, estaria mentindo. Eu estudo de manhã, e meus irmãos de tarde, e acho que isso me ajuda, pois enquanto estudo, eles brincam e jogam videogame, e depois do almoço ajudo eles com as aulas ao vivo. Sempre fomos muito ligados aos meus avós maternos, tínhamos o costume de almoçar na casa deles quase todos os domingos. A comida da minha vó é a melhor! 

No início da pandemia, ficamos os 15 primeiros dias sem vê-los pessoalmente, só por ligações de vídeo, e sinceramente, acho que esses foram os 15 dias mais difíceis que já passei. Durante essas 2 semanas, ficamos todos em casa, sem nenhum contato com ninguém, e então, quando finalmente pudemos vê-los (embora soubéssemos que não podíamos ter muito contato), nos abraçamos muito! E foi o abraço mais incrível que já dei, senti muitas emoções diferentes ao mesmo tempo, mas não sabia nem como me expressar, então apenas “esmaguei” muito meus avós. Depois que tudo isso passar, os abraços não serão mais os mesmos, os beijos serão mais intensos, e a vida, bem mais aproveitada!


VALENTINA CEZAROTTO
Vencedora do Prêmio Aldeia 2020.



QUEM SOU EU?
Me chamo Valentina Cezarotto, nasci no dia 20/03/2007 em Cascavel - PR, e hoje tenho 13 anos. Meu pai se chama Cleyton, e minha mãe Darclé. Tenho irmãos gêmeos de 9 anos, Lorenzo e Manuela.  
A primeira escola onde estudei foi o Colégio Anglo; hoje não estudo mais lá, porém sou muito grata a tudo que o colégio me proporcionou. Lá aprendi a ler e a escrever, despertei meu interesse pela leitura, e estudei por oito anos. Em 2017, mudei para o Colégio Marista, onde estudo até hoje. A escola incentiva a participação dos alunos em atividades extracurriculares, tais como olimpíadas de matemática, física, entre outros. Inclusive, foi por meio da professora Amanda, de língua portuguesa, que fiquei sabendo do concurso.

Sou atleta de taekwondo desde que tinha 9 anos de idade, e comecei a estudar Língua Inglesa aos 5. Ao longo desse tempo, meu gosto por ambas as atividades só aumentou. Por mais que goste muito de ler, minha matéria preferida é matemática. Pretendo fazer faculdade de Direito e me tornar juíza.

 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!