Matérias

DEBATE

RIC debate novos contratos de pedágio

Texto Assessoria de Imprensa

Publicado em 16/04/2021


Série “Pedágios no Paraná Novos Contratos” mostra que novo modelo vai atingir toda a economia paranaense

Os novos contratos de pedágios que em breve serão leiloados no Paraná vão impactar a vida de quem depende das estradas e redefinir uma boa parte dos custos da economia do estado. O modelo de pedágio a ser implantado pelo governo federal está mobilizando a opinião pública e foi tema de um debate ao vivo promovido em Cascavel pela rádio Jovem Pan, na manhã desta sexta-feira (16). 

A live integrou o RIC Séries “Pedágios no Paraná Novos Contratos”, que incluiu ainda reportagem em vídeo e quatro podcasts. A produção transmídia envolveu profissionais de várias plataformas de notícias do Grupo RIC e todo o conteúdo está disponível no portal RIC Mais.

Um dos principais mercados do agronegócio brasileiro, a região Oeste do Paraná será uma das mais atingidas pelo novo modelo de estrada pedagiada. O tamanho desse reflexo foi abordado durante o debate conduzido pelo jornalista Marc Sousa e que reuniu quatro personalidades da região: o deputado federal Evandro Rogério Roman (Patriota-PR); o presidente do programa Oeste em Desenvolvimento, Rainer Zielasko; o diretor presidente da Coopavel, Dilvo Grolli; e o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), Edson Vasconcelos.

Ao longo de uma hora, diretamente do estúdio da rádio Jovem Pan em Cascavel, os convidados falaram sobre os pontos mais polêmicos do tema, inclusive a possibilidade de instalação de um ponto de pedágio entre Toledo e Cascavel. Após quase 30 anos, os contratos das concessões de rodovias do Paraná se encerram em poucos meses. Uma nova licitação será feita pelo governo Federal. No entanto, o modelo de concessão proposto não agradou o setor produtivo, que não vê benefícios para os usuários.

Além das rodovias federais, o projeto também prevê algumas mudanças nas estaduais. Com isso, o total de estradas pedagiadas no Paraná pode passar de 2.493 km para 3.327 km. E o número de praças de pedágios de 27 para 42. A nova concessão está dividida em seis lotes, que o governo federal espera  leiloar em um novo modelo híbrido.

O governo pretende entregar as rodovias para a empresa que der o maior desconto na tarifa (limitado a 17%) somado ao maior valor de outorga, também chamado de conta vinculada. O setor produtivo, representado por diversas entidades de classe como associações comerciais e cooperativas, quer que o modelo seja apenas o de menor tarifa.

A proposta do governo federal foi rejeitada por unanimidade em dez audiências públicas realizadas por todo o estado, mas mesmo assim o Ministério da Infraestrutura se mantém irredutível e se mostra pouco interessado em atender à demanda do Paraná.

Podcasts detalham a polêmica
Ao longo da semana, a RIC TV apresentou diariamente conteúdos detalhando o assunto, com a participação de vários especialistas. Com produção de Fernanda Deslandes, a repórter Camila Andrade mostrou em reportagem como está desenhado o novo modelo de pedágio para o Paraná.

A equipe também preparou uma série de podcasts, explorando o assunto. O primeiro deles traz um apanhado histórico dos 24 anos de pedágios no estado. No segundo episódio, o podcast explora o que deve mudar nos novos contratos, e como será a nova forma de cobrança e de acordo entre concessionárias e governos estadual e federal.

No terceiro podcast a discussão é sobre preço de tarifa, abordando como deverá ser formado o preço e como isso vai impactar na vida dos usuários de rodovias. O tema se desdobra no quarto e último podcast, mostrando que esse é debate para toda a sociedade, já que certamente ele deverá alcançar também quem sequer utiliza as estradas.

Com o fim dos contratos atuais no dia 28 de novembro de 2020, o governo federal vai assumir o novo processo de concessões no estado. Além das rodovias federais, o projeto também prevê algumas mudanças estaduais. Com isso, o total de estradas pedagiadas no Paraná pode passar de 2.493 km para 3.327. E o número de praças de pedágios de 27 para 42. A nova concessão está dividida em seis lotes, que o governo federal espera leiloar em um novo modelo híbrido.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!