A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história
AMOP

Itaipu desenha novo ciclo econômico para o Oeste

Texto Assessoria de Imprensa
Foto(s) Rubens Fraulini 

Publicado em 20/08/2021


Na Amop, Itaipu reafirma alinhamento com o governo federal para continuar a desenvolver o Oeste do Paraná. Posição foi manifestada hoje pelo diretor-geral brasileiro, general João Francisco Ferreira

A Itaipu tem projetos em alinhamento com o governo federal que vão preparar a região Oeste do Paraná para um novo ciclo econômico. A afirmação foi feita pelo diretor-geral brasileiro da Itaipu, general João Francisco Ferreira, durante uma coletiva de imprensa que antecedeu ao encontro com 41 prefeitos da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (Amop), na manhã desta sexta-feira (20), em Cascavel.

“É uma questão de gestão. Essa restruturação permitiu aporte de recursos em grandes e pequenas obras e iniciativas de grande impacto. E isso influencia positivamente localmente, mas também para todo o Brasil”, afirmou o general Ferreira, citando como exemplo a Ponte da Integração, hoje com quase 65% de construção executada. “A obra vai resolver um gargalo do transporte e dar mais vazão ao escoamento das riquezas que atravessam fronteira e proporcionam bem-estar à população.”

O presidente da Amop e prefeito de Cascavel, Leonaldo Paranhos, agradeceu à presença de Ferreira, que estava acompanhado do diretor de Coordenação da Itaipu, general Luiz Felipe Carbonell. Segundo Paranhos, a relação da Itaipu com a Amop é mais que uma relação financeira e administrativa. “É uma parceria que também reconhece o quão significante tem sido essa construção. Nos orgulhamos desse estreitamento institucional que tanto traz benefícios para a nossa região”, afirmou.

De acordo com Paranhos, o apoio da Itaipu, especialmente a partir de 2019, com obras estruturantes e outras de menor porte, são fundamentais para o desenvolvimento regional. Como exemplo, ele mencionou o investimento na infraestrutura viária que melhorou o escoamento da produção do agronegócio, a ampliação do Aeroporto de Cascavel e várias outras obras em Foz do Iguaçu, como a nova ponte entre o Brasil e o Paraguai e a Perimetral Leste, que têm impactos diretos na economia regional.

Há quatro meses à frente da Itaipu, essa é a primeira participação do general Ferreira em uma assembleia geral da Amop. Foi uma oportunidade para alinhar informações, debater demandas em comum e retribuir a visita de cortesia feita pelo presidente da Amop no dia 22 junho, no gabinete do diretor-geral brasileiro, em Foz do Iguaçu. “O relacionamento da Itaipu com associações como a Amop e a dos municípios lindeiros, por exemplo, é estratégico para que a região ganhe como um todo”, afirmou o diretor.

Relacionamento antigo
Quase todos os municípios da Amop integram a área de influência da Itaipu e, por isso, mantêm convênios e parcerias com a usina em diversas ações de gestão ambiental. A interlocução entre a duas entidades é permanente e está relacionada à formação da área de influência da Itaipu, que começou com o enchimento do reservatório da usina e a definição dos municípios lindeiros – ou seja, aqueles diretamente afetados pelo enchimento do lago. No início, a área de influência da Itaipu era restrita a esses 16 municípios: 15 no Paraná e Mundo Novo, no Mato Grosso do Sul.

Com o tempo, constatou-se a necessidade de cuidar das águas desde suas nascentes até a foz, no lago de Itaipu, promovendo e apoiando ações para reduzir a chegada de sedimentos ao reservatório. Isso assegura a segurança hídrica e a manutenção do principal insumo da hidrelétrica: a água.

“Todos os nossos convênios são feitos por gestão de bacias. Uma estratégia que ajuda a cuidar dos nossos rios e garante a segurança hídrica e sustentabilidade ambiental”, reforçou o diretor de Coordenação, general Carbonell. De acordo com ele, Itaipu vai ampliar os convênios voltados para o saneamento na região.

Depois, a empresa adotou a gestão por bacia hidrográfica e ampliou a sua área de influência para 29 municípios, sendo 27 deles na Bacia do Paraná 3 (a área da bacia conectada ao reservatório da usina), além de Mundo Novo (MS) e Altônia (Noroeste do Paraná).

Em dezembro de 2017, com o novo direcionamento estratégico, uma nova ampliação foi definida para promover o desenvolvimento sustentável da região e, com isso, a área de influência da Itaipu passou a abranger 55 municípios. Entre eles estão 53 dos 54 municípios da Amop - Cantagalo não foi contemplado por não ter rios ligados às bacias que abastecem o reservatório. Além dos 53 municípios associados à Amop, os outros dois apoiados pela Itaipu são aqueles que não ficam no Oeste do Paraná: Mundo Novo (Mato Grosso do Sul) e Altônia (Noroeste).

Ações recentes
Desde fevereiro de 2019 foi implantado na empresa um novo sistema de gestão, fundamentado na austeridade e nos princípios da administração pública contidos no artigo 37 da Constituição Federal, refletindo em uma série de ações internas.

Entre elas, a revisão de convênios e patrocínios não aderentes à missão da empresa; a adoção de uma nova norma de concessão de patrocínios fundamentada na análise de métricas objetivas; a centralização de toda a força de trabalho da Itaipu da margem brasileira em Foz do Iguaçu; e o redirecionamento de recursos para o pagamento de obras estruturantes altamente estratégicas para o desenvolvimento da região.
Algumas das mais recentes estão em Cascavel.

São obras que tiveram suas pedras fundamentais lançadas no dia 2 de agosto e estão em pleno andamento: a duplicação de um trecho de 5,81 km da BR-277 (são mais de R$ 85 milhões em investimentos neste projeto) e a duplicação integral do Contorno Oeste, conectando as rodovias BR-277 (ligação com Foz do Iguaçu) e BR-163 (Toledo e Sudoeste do Estado), com 14,28 km de extensão, e a construção de um acesso à Avenida Brasil, com 4,7 km – totalizando 19,07 quilômetros (os investimentos totais são de R$ 101,5 milhões nesta obra).

No total, são aproximadamente 2,5 bilhões de reais investidos pela Itaipu, que representam um novo marco desenvolvimentista para o Oeste do Paraná. Neste momento de crise planetária causada pela pandemia da covid-19, a empresa também estendeu a sua mão e se tornou a principal apoiadora das prefeituras locais na luta contra o novo coronavírus e na mitigação de seus efeitos. Foram direcionados 85 milhões de reais para diversas ações, da criação de novas UTIs à distribuição de insumos.
 

Deixe seu comentário

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2021 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751