A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história
Edição 161
CEONC

Crescimento à vista

Texto Rejane Martins Pires
Foto(s) Kauã Veronese

Publicado em 19/05/2022


CEONC inicia um novo ciclo de expansão com a construção de dois prédios, um na Rua General Osório e outro na Rua Maranhão

 
A imagem que abre essa reportagem tem uma simbologia ímpar. O contraste dos sapatos brancos do médico Reno Paulo Kunz, um dos fundadores do CEONC, com a terra vermelha que irá abrigar o novo prédio do hospital, traduz um pouco da caminhada até aqui. Fundado em 1993 e considerado referência nacional em tratamento oncológico, o CEONC começou pequeno, literalmente, com os pés no chão.

Nos primeiros anos, muito esforço e poucos recursos. “Fazíamos diagnóstico por cirurgia”, lembra Reno. “Todos os investimentos que tivemos começaram pela demanda que tínhamos”, explica. Foi assim com a compra do primeiro equipamento de radioterapia da região, com a construção do primeiro prédio, em 2007, que unificou todos os serviços num só lugar e, mais recentemente, com aquisição do equipamento de radioterapia Elekta Infinity e do PET/CT. 

Este pioneirismo vai muito além do visível. Graças a esta mentalidade inovadora, a cultura do diagnóstico também mudou. Se a 30 anos atrás o diagnóstico era tardio e condenava muitas pessoas ao sofrimento e à morte precoce, o acesso a exames e tratamentos modernos salvou milhares de vidas.
 

“Eu me orgulho muito olhando para trás, vendo como começamos a fazer oncologia e como evoluímos sem nunca perder o foco na prevenção e no tratamento humanizado”, diz.


A expansão do hospital agora segue a mesma filosofia. Além da estrutura física que garante segurança ao paciente, terá tecnologia de ponta e profissionais com alta formação. Se a medicina e a oncologia vivem de ciclos, o CEONC está sedimentando esta nova etapa com a compreensão de que um hospital moderno deve ser um eterno canteiro de obras e estar sempre em busca de reformulações e melhorias.
 

“O Ceonc é uma unidade de atendimento oncológico que tem um belo passado, que vive o presente e que enxerga o futuro. E é com as informações do passado que projetamos o amanhã” - Reno Kunz

 
O médico Reno Paulo Kunz nas obras de ampliação do hospital

LEGADO PESSOAL
Quando chegou em Cascavel em 1985, Reno encontrou um cenário bem diferente de hoje. Aos 64 anos, ele entende este grande projeto como um legado que quer deixar à cidade que o acolheu. E legado não é dinheiro. Na sua compreensão, é tudo aquilo que se constrói ao longo da vida e que possa ser útil aos outros.
 

“Eu iniciei a oncologia em Cascavel, construí minha vida aqui, nada mais justo que reinvestir na cidade que me recebeu. O objetivo deste investimento agora é transformar a maneira como todos se relacionam com a saúde, e torná-la mais sustentável e acessível. Fico feliz em poder colocar um tijolo nesta direção”.


CICLO DA EXPANSÃO
8 andares na General Osório
As obras de ampliação do Hospital Oncológico, na Rua General Osório, já começaram. A nova edificação vai se conectar com o restante do complexo hospitalar, desafogando e melhorando o espaço para os setores de imagem, cirurgia, UTI, internamento e de apoio.Tudo milimetricamente pensado para garantir bem-estar aos pacientes e aos profissionais.
 
Projeto da obra na Rua General Osório
 

A obra de um hospital é muito minuciosa, quase uma operação cirúrgica. É impensável iniciar um projeto como este sem contemplar alguns pilares como segurança e funcionalidade”, explica o médico.


13 andares na Maranhão
Em outra frente de trabalho, está o prédio da Rua Maranhão, onde será construído, num segundo momento, o Centro Médico. A ideia é abrigar ali todas as especialidades que têm afinidade com a oncologia, garantindo ao paciente maior comodidade e assistência correta.
 

Tudo está sendo pensado para proteger o paciente e oferecer uma estrutura que impacte positivamente no tratamento e recuperação”, salienta.


Uma das premissas é que o atendimento ocorra com o mínimo de estresse possível. Entra aí o chamado “design da saúde”, cujo ponto de partida é centrar o cuidado no paciente. As duas obras, da General Osório e da Maranhão, estão sob a responsabilidade da construtora Bastian&Lora.
 
Perspectiva do Centro Médico, que será erguido na Rua Maranhão

NA VANGUARDA
Ao abraçar a tecnologia, o CEONC transformou-se num sólido ambiente de inovação. Desde a sua concepção aos dias de hoje, está sempre na vanguarda. Graças a este olhar de longo prazo, consegue atender uma relevante média diária de pessoas, tanto para consultas, como para procedimentos cirúrgicos oncológicos, radioterapias e quimioterapias. É a constatação da boa acessibilidade ao hospital.
 

“Este é um dos nossos pontos centrais. O paciente chega de manhã e é atendido. Nos casos menos complexos, se precisa fazer biopsia ou tomografia, por exemplo, faz tudo no mesmo dia. O serviço é rápido e efetivo”. 

Deixe seu comentário

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751