A revista mais premiada do Paraná
14 anos de história
Edição 161
COLEÇÕES

Diálogos entre colecionador, artista e obra

Texto Rejane Martins Pires
Foto(s) Kauã Veronese e Claiton Biaggi

Publicado em 27/05/2022


Coleção particular do empresário Jaime Farina tornou-se um hobby.
Carros e motos produzidos com materiais reciclados encantam clientes

Desde que conheceu o trabalho artístico de Cesar Ferreira, o empresário Jaime Farina tornou-se fã de suas criações. Em sua coleção particular, carros e motos feitos com materiais reciclados traduzem o lado artístico artesanal de Cesar. 

Bem diferente de suas obras contemporâneas, pensadas para salões de arte, as peças colecionáveis encantam pela sutileza.

Tenho 39 peças e cada uma tem uma beleza própria. Nunca tive um hobby, este é o primeiro. Todos os dias dou uma olhada, mudo de lugar, admiro os detalhes”, afirma Farina, cuja coleção está exposta em sua empresa e, sempre é bom repetir, não está à venda.
 
Jaime Farina e sua coleção particular de motos e carrinhos expostos no Posto Cristal 

Produzidos a partir de retalhos de ferro chato, polcas, rolamentos, ruelas, parafusos, os carrinhos nasceram por influência do cinema. “Sempre gostei de carro antigo, mas depois de assistir ao filme Mad Max tudo aflorou”, diz Cesar. As motos surgiram bem antes, inspiradas na série das bicicletas. 
 
Cesar Ferreira com suas novas criações: Kombis “saia e blusa”

Agora, sua nova empreitada está em criar Kombis, inclusive com pintura “saia e blusa”. Para Cesar, não há limites. “Estou sempre criando, buscando soluções. Já fiz caminhão, patrola e até tanque de guerra. Com a pandemia e o fechamento dos salões de arte, intensifiquei a produção artesanal”. Inclui-se aí outras séries, como a de aviões, luminárias, instrumentos musicais, rostos vazados e mesas.

NA MESA DE CESAR
Um dos poucos artistas que consegue transitar em três mundos – o simbólico, o imaginário e o real – Cesar Ferreira depurou sua obra ao longo dos anos. Isso lhe permitiu mais liberdade. Aliás, cria sem amarra alguma. Ao som de Mettalic, Pink Floyd, ACDC e Raul Seixas, o artista deixa fluir a criatividade.
 

Coloco tudo na minha mesa e as peças vão saindo. E tenho um dilema, só consigo criar à noite”, diz.

Mais detalhes sobre a arte de Cesar no Instagram @cesarferreira964.




 

Deixe seu comentário

Expresse, fale, opine, sugira! Nós queremos fazer nossa Aldeia cada vez melhor.

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

1 COMENTÁRIO(S)

Muito top essa matéria como todas que sempre está nas revista
comentado por Antônio Cesar Ferreira em 29/05/2022
© 2022 REVISTA ALDEIA Todos os direitos reservados.
Alguma dúvida? Nos te ajudamos. Ligue: (45) 3306-5751