Matérias

DNA de voluntário

Publicado em 08/03/2017

Conheça a história de Pedro Maria Martendal de Araújo, o voluntário que aprendeu com o pai a exercitar o bem ainda criança e hoje dedica grande parte de seu tempo para ajudar os outros

Texto: Rejane Martins Pires
Fotos: César Machado
O próximo dia 1º de maio marca os 40 anos da chegada do advogado Pedro Maria Martendal de Araújo a Cascavel. Poderia ser um fato normal, não fosse um detalhe: Pedro é um trabalhador, sim, mas um trabalhador diferente. Em grande parte de suas atividades, não ganha nada. É mais que um voluntário. É um destes abnegados que abre mão de qualquer tempo livre para ajudar quem quer que seja. Não importa a hora, não importa o dia, não importa o cansaço físico, se a causa é boa, lá está ele. E faz isso naturalmente, feliz da vida, sem muito alarde e longe dos holofotes. Os poucos que conhecem a sua trajetória de vida sabem que isso já o credencia como um exemplo total de renúncia. Nascido em Santa Catarina, o caçula dos oito irmãos aprendeu ainda criança que o essencial é que cada um faça em boa-fé. Foi assim, atento às lições de seus pais Antônio Araújo e Lucia Martendal, pequenos agricultores e comerciantes, que o menino começou sua trajetória no voluntariado. Para ele, o dinheiro e o sucesso profissional não fazem sentido se não tiverem como fim o auxílio ao próximo.






DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!