Matérias

A voz do dono

Publicado em 16/03/2017

Texto Rejane Martins Pires
Fotos Fábio Conterno


Que atire a primeira pedra quem nunca passou por experiências desagradáveis no comércio de Cascavel. Por aqui, há de tudo. Mas as histórias mais recorrentes dizem respeito ao preconceito social. Estar “mal” vestido, infelizmente, é um quesito para ser bem ou mal atendido. Isso sem falar na questão racial. É óbvio, nem todo mundo é igual e, às vezes, nem o próprio dono tem controle sobre o atendimento. Nesta edição, a Revista Aldeia ouviu três comerciantes cuja principal característica é a vocação para atender bem. Cada um com seu estilo próprio, eles dão show no quesito simpatia e fidelização de clientes.

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!