Matérias

ARTE

Divino!

Publicado em 16/03/2017


Toledo amplia seu patrimônio cultural com a obra da Paróquia Menino Deus, prevista para ser inaugurada em outubro
 
Quem quiser fazer uma viagem ao Novo Testamento precisa apenas ir a Toledo. Ali, na Paróquia Menino Deus, está sendo reproduzida, em forma de pintura a óleo, toda a história de Cristo. O autor da façanha é o artista plástico sacro, teólogo e filósofo Marcílio Soares.

Prestes a se ordenar padre, o artista trabalha há quatro anos na pintura interna da obra, iniciada em 2003 e cujo orçamento já passou dos R$ 4,5 milhões. Essa aparente demora é, ao contrário do que parece, o próprio espetáculo. A igreja está sendo erguida com recursos da comunidade. Não apenas isso. Nas paredes pintadas, os personagens retratados são os próprios fiéis e operários da obra.

A inspiração vem de Michelangelo que, ao pintar a Capela Sistina, usou modelos da época para compor os cenários. A diferença é que em Toledo os “modelos” são voluntários. “Nós estamos fazendo um resgate da arte barroca e este envolvimento da comunidade é de extrema importância para a preservação futura do espaço”.

Incansável, é o próprio Soares quem monta as cenas, faz a produção e as fotos, para depois transferi-las para o teto e paredes. Desde que começou o trabalho, acumula um acervo de 10 mil fotos. Tudo isso para manter a originalidade das cenas. Destaque aí para o grande trunfo do artista: seu conhecimento teológico. Nada escapa aos olhos de Soares, tudo é liturgicamente correto. “Isso traz vivacidade para as cenas”, explica.

Somente na cúpula foram quatro meses de trabalho e muita habilidade para pintar deitado sobre um andaime a 42 metros do chão. Driblar o cansaço físico não foi o único desafio. “O mais difícil foi alcançar a perspectiva desejada. Nesta cena, especificamente, me emocionei muito. Não podia errar”, comenta.

Não é a primeira vez que Soares concebe projetos grandiosos. Pós-graduado em Conservação e Restauração de Patrimônio Histórico pela Faculdade Estácio de Sá, no Rio de Janeiro, além de cursos na Itália, integram o seu currículo a Arquidiocese do Rio de Janeiro e dezenas de igrejas Brasil afora, incluindo, é claro, cidades da região como Medianeira, Missal, São Miguel do Iguaçu e sua terra natal, Santa Terezinha de Itaipu. “Grandes projetos sempre atraíram. O grande desafio de todo criador é chegar ao realismo”, diz Soares.

Aos 49 anos, ele sempre gostou de artes, aptidão despertada por uma tia que lhe presenteava com tintas. Como não tinha telas, pintava sobre qualquer superfície. Sua obra mais inusitada foi em um galinheiro no sítio da família. “Fiz uma bela paisagem com árvores, pássaros e casinhas”, lembra o artista que hoje ouve música erudita enquanto desliza os pincéis sobre suas telas gigantes.
 
Imortalizados
Quando se coloca pessoas comuns numa cena bíblica, o resultado pode ser mágico. Foi o que aconteceu com o eletricista José Leal, retratado como seguidor de Jesus Cristo. Terminada a pintura, resolveu espiar seu retrato. Não deu outra: José ficou estático. “Me emocionei muito. Eu faço parte da Pastoral Familiar e sempre quis evangelizar, hoje sei que estou evangelizando através da arte. Outra coisa, nós vamos morrer e a pintura vai ficar ali para netos e bisnetos verem”. 
Representado como um rei mago, o mestre de obras José Carlos do Nascimento também não conteve a emoção. “Trabalho aqui desde o início e esta iniciativa é uma forma de valorizar a gente. Me sinto honrado com tudo isso. Meus amigos e minha família já vieram me ver. É muito gratificante”. 

Obra será única
Um dos responsáveis pelo belo trabalho na Menino Deus é o próprio pároco, o padre Helio Bamberg. Foi dele a indicação para contratar o artista sacro religioso e é dele o talento de agregar. Com capacidade para 1.250 pessoas, a igreja contempla várias influências artísticas em sua arquitetura. Além do barroco, tem influência bizantina e gótica. “É uma obra única por aqui e exige dedicação, técnica e paciência”, explica o padre.
Para se ter uma ideia da trabalheira, antes de receber a pintura, a parede ganha 19 demãos de produtos. “É uma espécie de emborrachamento. Se algum dia houver algum problema na parede, basta recortar a pintura com o bisturi que ela vai sair inteira”, explica o artista Marcílio Soares que pretende se ordenar padre ali mesmo na Menino Deus.
 

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.
×

Assine Aldeia

Por apenas R$ 9,90* / mês.

Deixe seu telefone, nós ligamos para você.
Venha fazer parte da nossa tribo!