Matérias

Edição 122
Miss

Os dois mundos de Jordana

Saiba por que Jordana Tavares, eleita Miss Cascavel Be Emotion 2018, desistiu de entrar no casting da Ford Models para cursar Engenharia Civil

Texto Rejane Martins Pires
Foto(s) Bruna Scheidt


“Foi um baque!”. É assim que Jordana Tavares resume a experiência de ter ficado em 11ª colocada no Concurso Miss Paraná 2018. Mas como tudo em sua vida, foi resiliente. “Nada acontece por acaso em nossas vidas. Quem ganhou o titulo merecia”, diz a Miss Cascavel Be Emotion 2018. E, quem a conhece, sabe perfeitamente o peso desta declaração. “Ser miss me ensinou muito, principalmente olhar para o lado, ter mais empatia. Não é só beleza. Não é só futilidade”, ressalta. 
 
Aos 24 anos, 1,78m e 50 quilos, Jordana é o retrato de uma nova geração de mulheres porta-vozes de mensagens de inclusão e respeito. Ela arrasa nas passarelas e nos tapetes vermelhos, mas também é respeitada em seu habitat natural, seja num canteiro de obras ou na elaboração de grandes projetos. Engenheira civil por formação, Jordana nunca se imaginou segurando um cetro e uma coroa. 

Até olhava com certo estranhamento para os concursos. Sempre teve a ideia de que exaltavam apenas uma beleza padrão e pronto. “Quando pesquisei sobre o concurso de Miss Cascavel, foi algo impressionante que tocou minha alma e me fez estar entre as concorrentes”, diz. “Até porque o título de miss tem lá o seu glamour e promove a solidariedade, devido aos eventos e trabalhos voluntários que a miss pode e deve fazer durante o seu reinado olhando para o próximo.” 


FORD MODELS

Se o título de miss foi algo repentino, o de modelo não. Aos 10 anos, a menina que não era a mais bela da turma já fazia cursos na área. Tanto é que aos 16 anos foi chamada para integrar o casting da Ford Models.

Detalhe: era preciso seguir à risca um calhamaço de exigências, dentre elas: perder peso (chegou aos 42kg), reduzir quadril e deixar a sobrancelha crescer (pois, conforme descreve, era seu maior mimo). Quando alcançou o padrão, eis que surge o vestibular para Engenharia Civil. Depois de ponderar várias questões, principalmente por ser um mercado temporário, optou por estudar. “Carreira de modelo é curta”, ressalta. 
 

 
Formada em Engenharia Civil, especializou-se em Estruturas de Concreto, Metálicas e Fundações. Ainda muito jovem, a bela conta com uma experiência de sete anos desde que ingressou no mercado da construção civil. E, atualmente concilia o trabalho em uma construtora com a agenda de miss e modelo (faz trabalhos em Cascavel e região). “Ser miss, modelo e engenheira exige um certo malabarismo, mas é uma experiência que eu gosto de viver”. 

Como boa geminiana, sabe transitar bem pelos dois mundos com elegância e competência. Quando está na obra se sente engenheira, quando está na passarela, modelo, e como miss, aflora o sentimento da alma, o que desempenha com amor e compaixão pelo próximo. 
 

CORAGEM PARA SONHAR

Se dependesse dos “nãos” que recebeu na infância, Jordana nem teria cogitado prosseguir na carreira de modelo. Depois do convite da Ford Models e da coroação, as portas se abriram. “Parafraseando Walt Disney, sempre digo que todos os nossos sonhos podem se tornar realidade, se tivermos coragem para persegui-los.”
 


E, coragem, significa, sobretudo, enfrentamento. “Quando assumimos nossas dores, nossas decepções e nossos erros, nos tornamos mais especiais, pois tiramos a máscara de semideuses que às vezes o mundo nos impõe”, conclui.


Créditos fotos miss
------------
Fotografia: Gabriella Dal Ponte 
Vestido: Maximus Atelier Cascavel
Beleza: Studio Rubem Borges
Maquiagem: Lucas Maculan 
Cabelo: Rubem Borges 
Acessórios: Moça Biju Central Park
Estética: Única Estética Avançada
Preparo Físico: Studio Willfit
Coordenador: Vilson Ismério

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Importante: Comentários com conteúdo sensível, impróprio ou que for considerado inadequado – por qualquer motivo, a critério do moderador – serão sumariamente deletados.

Deixe seu comentário.